Bolsas

Câmbio

Crescimento do emprego em SP é maior para homens do que para mulheres

Da Redação

Em São Paulo

O desemprego feminino na região metropolitana de São Paulo recuou pelo quarto ano consecutivo e passou para 17,8% em 2007, contra 18,6% do ano anterior, informa um estudo divulgado nesta quarta-feira pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade).

Segundo a entidade, muitas mulheres passaram a trabalhar, enquanto outras deixaram de procurar emprego. Mesmo elevada, a participação da mulher (ocupada ou desempregada) no mercado de trabalho reduziu pela primeira vez desde 1995 e ficou em 55,1% no ano passado, contra 55,4% registrados em 2006.

A queda foi generalizada em todos os grupos de idade e níveis de escolaridade, mas atingiu, sobretudo, as negras.

Já o crescimento do nível de ocupação entre as mulheres, de 1,5% em 2007, e apenas nos segmentos de comércio e serviços, foi inferior à expansão de 3% no grupo masculino, que teve desempenho positivo em todos os principais setores de atividade.

No ano passado, o rendimento médio real por hora entre as mulheres ocupadas permaneceu praticamente estável, com pequena queda de 0,2%, passando a corresponder R$ 5,42. Este valor é referente a 77,9% do salário médio por hora ganho pelos homens, de R$ 6,96.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos