Bolsas

Câmbio

Paulson diz que mudanças em pacote vão reativar crédito e consumo

Da Redação
Em São Paulo

O secretário do Tesouro americano, Henry Paulson, disse hoje que as mudanças realizadas no plano de resgate financeiro ajudarão a "começar a reativar o consumo" e que os cidadãos terão mais facilidade de alcançar créditos.

"A falta de créditos acessíveis afeta o gasto dos consumidores e enfraquece a economia" dos Estados Unidos, declarou hoje Paulson, durante uma entrevista coletiva em Nova York, na qual também reconheceu que "os mercados financeiros não estão funcionando como deveriam".

O Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) anunciou hoje mais duas medidas para tentar combater a crise financeira.

O objetivo é descongelar o mercado de crédito imobiliário, ao consumidor e a pequenas empresas. Ao todo, as novas iniciativas englobam até US$ 800 bilhões.

No primeiro programa, de US$ 600 bilhões, o Fed vai comprar títulos relacionados a hipotecas. Serão US$ 100 bilhões em obrigações diretas das financiadoras imobiliárias patrocinadas pelo governo, como Fannie Mae e Freddie Mac, e dos Federal Home Loan Banks. Outros US$ 500 bilhões serão usados para adquirir títulos lastreados em hipotecas garantidos pela Fannie Mae, Freddie Mac e Ginnie Mae.

"Esta ação está sendo tomada para diminuir o custo e elevar a disponibilidade de crédito para a compra de casas, o que, em troca, deve apoiar o mercado imobiliário e contribuir para condições melhores nos mercados financeiros de uma maneira geral", declarou o Fed em nota em sua página eletrônica.

Além disso, o BC americano comunicou a criação de uma linha de empréstimos (cuja sigla é TALF, em inglês) com o objetivo de ajudar os participantes do mercado a atender as necessidades de crédito do consumidor e pequenas empresas.

A idéia é fortalecer os mecanismos que sustentam créditos como empréstimos estudantis, cartões, financiamento de veículos e empréstimos a pequenas empresas.

Sob a TALF, o Fed de Nova York emprestará US$ 200 bilhões a detentores de determinados títulos que são lastreados por esses empréstimos.

As condições são que esses papéis tenham nota de crédito AAA (a mais alta) e que os créditos nos quais são lastreados sejam "novos ou recentemente originados".

(Com informações de Efe e Valor Online)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos