Bolsas

Câmbio

Informalidade sustenta menor taxa de desemprego desde 2002

Da Redação
Em São Paulo

(Texto atualizado às 14h18)

A taxa de desemprego caiu de 7,6% em novembro para 6,8% em dezembro, atingindo o menor percentual desde 2002, quando o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) adotou a metodologia atual da pesquisa (veja gráfico no final do texto). Em 2008, o índice desceu para 7,9%, também o menor da série anual, ante 9,3% no ano anterior.

A queda no desemprego, no mesmo mês em que o país perdeu mais de 600 mil postos de trabalho formais, é explicada pelo aumento da informalidade, segundo o economista Francisco Barone, da Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro.

'DEMISSÕES NÃO AFETARÃO PEQUENOS'
COMENTE ESTE VÍDEO
"Houve um aumento sazonal do emprego temporário em função do Natal, o que compensou em parte a queda substancial do emprego formal", afirma Barone.

Segundo ele, além das contratações para o Natal, "a informalidade, no sentido estrito de emprego sem carteira assinada, tende a absorver boa parte dos funcionários que perderam emprego".

O economista explica, ainda, que as grandes empresas sofreram maior impacto da crise internacional. Já as pequenas, que muitas vezes usam mão-de-obra informal, não estão necessariamente demitindo funcionários.

Dado surpreende
Analistas consultados pela agência Reuters esperavam uma taxa de 7,2% em dezembro, de acordo com a mediana de 19 estimativas.

A população desocupada caiu 11% em relação a novembro e 6,3% sobre dezembro de 2007, para 1,6 milhão de pessoas. Já o total de brasileiros ocupados ficou estável em relação a novembro, mas subiu 3,4% sobre dezembro de 2007, para 22,1 milhões.

O rendimento real médio teve alta de 0,5% em dezembro sobre novembro e de 3,6% sobre dezembro de 2007, para R$ 1.284,90.

Recife tem maior queda no desemprego
Na pesquisa por regiões, em comparação com novembro, Recife registrou a maior queda no desemprego, de 1,9 ponto percentual, para 7,8%, seguida por São Paulo, de 1,1 ponto percentual, para 7,1% e pelo Rio de Janeiro, de 0,7 ponto percentual, para 6,2%.

TAXA DE DESOCUPAÇÃO NA REGIÃO METROPOLITANA (EM %)
PeríodoTotalRecifeSalvadorBelo HorizonteRio de JaneiroSão PauloPorto Alegre
dez/0210,511,314,88,38,911,77,5
dez/0310,912,115,710,48,611,87,9
dez/049,611,115,48,58,59,86,6
dez/058,313,914,676,87,96,7
dez/068,410,412,47,16,596,6
dez/077,49,911,45,56,185,3
nov/087,69,710,35,26,98,25,3
dez/086,87,8105,56,27,14,7
Caged
Os dados do IBGE são mais animadores do que os do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho, que mostrou, no início da semana que em dezembro houve uma redução de 654.946 empregos com carteira assinada no Brasil.

Segundo a pesquisa, foi a maior queda mensal desde maio de 1999, quando o ministério começou a usar a metodologia atual. O recorde anterior havia sido em dezembro de 2004, quando o país perdeu 352.093 vagas.

De acordo com o órgão, em dezembro de 2008, o setor mais afetado foi a indústria de transformação, que engloba vestuário, automóveis, calçados e móveis. Somente nestes segmentos, foram perdidas 273.240 vagas de emprego.











(Com informações da Reuters)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos