Bolsas

Câmbio

Preço de medicamentos pode variar até 1.400% em SP, diz Procon

Da Redação, em São Paulo

Os preços de medicamentos na cidade de São Paulo podem variar até 1.415%, revela levantamento feito entre os dias 13 e 15 de janeiro de 2010 por Fundação Procon-SP e Secretaria de Estado da Saúde.

A pesquisa constatou grande diferença de preços entre medicamentos seja de uma loja a outra, seja na comparação entre o produto de referência e seu equivalente genérico.

No total, a pesquisa consultou 103 itens (62 de referência e 41 genéricos), em 15 estabelecimentos farmacêuticos distribuídos pelas cinco regiões da cidade de São Paulo (veja quadro abaixo).

 Segundo a secretaria, o resultado do levantamento indica que "a pesquisa de preço é fundamental antes da compra de medicamentos, pois os valores dos produtos podem ter variações consideráveis de um estabelecimento para outro, inclusive por ocasião de descontos especiais e promoções".

MAIORES VARIAÇÕES NO PREÇO DE MEDICAMENTOS

Medicamento Menor preço Maior preço Variação
Hidantal (Fenitoína) R$ 0,40 R$ 6,06 1.415%
Voltaren (diclofenaco sódico) R$ 1,89 R$ 20,12 964,5%
Tylenol (paracetamol) R$ 1,49 R$ 14,59 879,2%
  • Fonte: Procon-SP e Secretaria de Estado da Saúde

 Ao comparar preços de medicamentos de referência e seus equivalentes genéricos, a diferença pode ser "exorbitante", de acordo com a pesquisa.

"Por serem produzidos por diversos laboratórios, os medicamentos genéricos são, em geral, mais baratos. Mas mesmo um 'genérico' pode apresentar preços diferentes" entre eles, diz a secretaria.

 A Fundação Procon- SP passará a realizar a pesquisa de medicamentos bimestralmente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos