Bolsas

Câmbio

Vendas do comércio sobem 11,5% no semestre, maior alta em 10 anos

Da Redação, em São Paulo

O volume de vendas do comércio brasileiro cresceu 1% em junho em comparação com maio e 11,5% no primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano passado. O crescimento semestral é o maior em dez anos, desde 2001.

Na comparação de junho deste ano com junho de 2009, a alta foi de 11,3%. Os dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) foram divulgados nesta quarta-feira.

É o segundo mês seguido de alta. Em maio, o crescimento em relação a abril havia sido de 1,5%. O pior resultado neste ano foi registrado em abril, quando o volume de vendas caiu 3,1% em relação a março.

Analistas ouvidos pela agência de notícias Reuters previam alta mês a mês de 0,3% -com previsões entre queda de 0,5% e aumento de 0,9%- e elevação anual de 9,9% -com estimativas de 8,8% a 11%.

O DESEMPENHO DOS SETORES
Alta percentual no 1º sem./10 diante do 1º sem./09

Equip. e mat. para escritório, informática e comunicação 25,8
Móveis e eletrodomésticos 20,6
Art. farmacêuticos, med., ortop. e de perfumaria 12,2
Hiper, supermercados, prods. alimentícios, bebidas e fumo 10,4
Tecidos, vestidos e calçados 10,1
Livros, jornais, rev. e papelaria 8,1
Outros artigos de uso pessoal e doméstico 6,1
Combustíveis e lubrificantes 5,5
  • Fonte: IBGE

Os resultados divulgados aqui levam em conta oito categorias de comércio pesquisadas pelo IBGE. Na comparação entre o primeiro semestre deste ano e o mesmo período do ano passado, todas as atividades cresceram. Material de informática e escritório novamente liderou, com alta de 25,8%. O que menos cresceu foi o setor de combustíveis e lubrificantes, com 5,5%.

Na comparação de junho em relação a maio, cinco dessas atividades cresceram. O melhor resultado foi para material de escritório e informática, que subiu 5,4%. O pior desempenho foi de livros, jornais, revistas e papelaria, que caiu 3,1%.

O IBGE também pesquisa outras duas atividades adicionais -veículos e motos e material de construção. Mas o instituto separa esses setores no "índice de comércio varejista ampliado", que não está sendo considerado nesta reportagem.

Das 27 unidades da Federação, somente o Piauí apresentou resultado negativo na comparação entre junho deste ano e o mesmo mês do ano passado (teve queda de 2% no volume de vendas).

As principais altas foram em Tocantins (51,1%), Rondônia (36,2%), Acre (26,4%), Roraima (23,8%), Mato Grosso do Sul (19,5%) e Paraíba (18,4%).

São Paulo cresceu 11,7%, Rio de Janeiro teve alta de 11% e Minas Gerais avançou 12,5%.

Outra pesquisa

Em uma outra pesquisa sobre comércio, divulgada ontem, relativa somente à região metropolitana de São Paulo, registrou-se queda de 6,8% no volume de vendas em junho em comparação com o mesmo período do ano passado. É a primeira retração das vendas no ano em São Paulo.

Os dados dessa pesquisa de São Paulo são da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio), o resultado foi fortemente afetado pela redução nos números apresentados pelo setor automotivo, que registrou diminuição de 26,2% nas vendas de junho, em relação ao mesmo mês do ano passado.

(Com informações de Reuters e Agência Brasil)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos