Com 4.000 lojas, pet shops crescem e se igualam a padarias em SP

Matheus Lombardi

Do UOL Economia, em São Paulo

Os cuidados com um animal de estimação movimentaram cerca de R$ 11 bilhões no mercado brasileiro em 2010, e essa indústria cresce 20% ao ano. Os dados são da Associação Nacional dos Fabricantes de Produtos para Animais de Estimação (Anfalpet).

Segundo a entidade, o negócio tem crescido tanto que, na cidade de São Paulo, há mais de 4.000 pet shops, o mesmo número de padarias. De acordo com a Anfalpet, o Brasil já possui mais de um animal de estimação para cada dois habitantes (são 98 milhões de bichos).

A venda de ração domina o setor, e é responsável por 66% de todo o faturamento do setor. Em segundo lugar, estão justamente os serviços, como os de banhos, passeios e treinamentos, oferecidos também em pet shops. Essa atividade representa 20% do faturamento nesse negócio de bichos.

Os equipamentos e acessórios (produtos de higiene e embelezamento, por exemplo) respondem por 8%. Medicamentos veterinários têm uma fatia de 6%,.

Para a gerente de marketing da rede de lojas Cobasi, Daniela Bochi, o consumidor busca comprar primeiramente alimentos (ração) e, depois, medicamentos.

"A compra de acessórios (camas, roupas, coleiras) é feita por impulso, ou seja, não é planejada", declara.

Apoiado no crescimento contínuo do mercado de pet shop no país, a loja virtual Meu Amigo Pet, especializada em produtos para animais de estimação, espera fechar o ano com um faturamento aproximado de R$ 1 milhão.

E ainda existe muito espaço para o crescimento desse mercado, na opinião do proprietário da loja, Daniel Nepomuceno.

"Vimos uma lacuna muito grande na internet para esse tipo de produto e resolvemos apostar. Nossa ideia é não ficar só no virtual. Queremos também abrir lojas físicas para atrair um número ainda maior de clientes", afirma.

Investindo no comércio de luxo, com direito a ofurô para cães

Os gastos anuais com produtos para animais de estimação chegam a R$ 759 para cães e R$ 557 para os gatos, segundo uma pesquisa realizada pela consultoria GS&MD. Isso sem contar os custos com serviços (veterinário e estética), que variam de acordo com o local.

Segundo Nepomuceno, da Meu Amigo Pet, a diversificação dos produtos atrai cada vez mais clientes e gera um lucro maior para as empresas.

"Temos ofurô, comedores automáticos, bolas que escovam os dentes dos animais. A oferta de produtos é gigantesca, e os consumidores querem dar sempre o melhor aos seus pets."

Nas lojas Cobasi, uma gaiola para ser colocada em jardim custa R$ 3.440 e é o produto mais caro oferecido. 

Com uma linha de produtos que vai desde shampoos com aromas de frutas da Amazônia até ofurô, o Grupo Cosmotec, que fornece matérias-primas para a indústria de cosméticos, resolveu lançar uma marca própria para os animais de estimação, a Pet Society.

"Existe uma grande demanda por produtos nesses mercados e resolvemos lançar uma marca própria para não concorrer diretamente com os nossos clientes. O ofurô é o produto que chama mais atenção em feiras e eventos", declarou a responsável pelo marketing da empresa, Flávia Oliveira.

Vida de príncipe e roupas de grifes

Os dois cachorros da raça yorkshire da administradora de empresas Alessandra Campiglia têm uma "vida de príncipe".

A rotina cinco estrelas dos animais inclui tratamentos de beleza semanais, roupas de grifes como Gucci e Louis Vuitton, e alimentação sempre balanceada.

"Todo o carinho que recebo dos animais compensa os gastos que tenho com eles. Quando viajei para a China, não resisti em comprar roupas de marcas de luxo. Esse tipo de produto daqui a pouco também será vendido no Brasil", declara.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos