IPCA
0.11 Ago.2019
Topo

País não deverá cumprir meta de geração de empregos, diz ministro

Do UOL Economia, em São Paulo

18/11/2011 11h51

Após divulgar os dados da geração de empregos formais no país no mês de outubro, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, afirmou que o país não deve atingir a meta de geração de 2,7 milhões de empregos para este ano, por conta dos reflexos da crise internacional. Ele, no entanto, não fez uma nova projeção.

Em setembro, o ministro havia dito que a meta anterior de 3 milhões de novos empregos não seria cumprida e que, naquele momento, ela estava sendo reduzida para algo entre 2,7 milhões e 3 milhões de empregos.

No acumulado até o mês de outubro foram abertas 2.241.574 vagas de trabalho com carteira assinada, segundo dados do Caged.

Em relação ao mês anterior, houve uma queda de 39,7% na criação de postos de trabalho (em setembro, o país registrou a criação de 209.078 empregos formais).

Na comparação com outubro do ano passado, a queda registrada na geração de empregos foi de 38,4%.

Lupi enfrenta uma crise política nas últimas semanas, após ser acusado de ter se beneficiado indevidamente de diárias pagas pelo ministério quando não estava fora de Brasília e de ter mentido sobre viagem feita em um avião providenciado pelo dirigente de uma organização não governamental (ONG) que prestava serviços à pasta do Trabalho.

Entenda o Caged

O Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho é uma pesquisa mensal sobre o comportamento do mercado formal de trabalho. Os dados da pesquisa são obtidos a partir de informações enviadas pelas empresas sobre admissões e demissões de funcionários.

(Com informações da Reuters)

Mais Economia