PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

Para enfrentar crise, Rei da Espanha reduz salário em mais de R$ 50 mil

Foto oficial do rei da Espanha Juan Carlos e da rainha Sofia  - Danny Virgili / Espanha Casa Real / Handout/Reuters
Foto oficial do rei da Espanha Juan Carlos e da rainha Sofia Imagem: Danny Virgili / Espanha Casa Real / Handout/Reuters

Do UOL, em São Paulo

17/07/2012 09h43Atualizada em 17/07/2012 12h01

O salário bruto do rei Juan Carlos da Espanha vai sofrer um corte de 7,1%, assim como vai acontecer com os demais funcionários, informou nesta terça-feira (17) a Casa Real. A redução faz parte dos novos cortes de despesas aprovados na sexta-feira passada pelo governo espanhol.

O salário do rei, que gira em torno de R$ 730 mil por ano, terá um corte de 20.910 euros (cerca de R$ 52 mil) --sem impostos.

Já seu filho e herdeiro Felipe de Borbón receberá 10.455 euros (aproximadamente R$ 26 mil) a menos.

O restante da famíla real também verá reduzidos seus gastos de representação.

Cortar 30% dos vereadores para economizar

Para enfrentar a crise econômica, a Espanha vai cortar 30% de seus vereadores, reduzir verbas de partidos, sindicatos e ministérios, fechar empresas públicas, diminuir o seguro-desemprego em mais da metade, suspender o abono de Natal de funcionários públicos e aumentar impostos em até 21%, inclusive o do cigarro. Alimentos básicos não terão tributos maiores.

As medidas foram anunciadas na sexta-feira (13) pelo primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, e seguem exigências da União Europeia para o socorro ao sistema financeiro do país.

Com a redução de cerca de 30% no número de vereadores em todo o país e o fechamento de empresas públicas no âmbito local, a estimativa do governo é economizar 3,5 bilhões de euros (R$ 8,7 bilhões).

O novo plano também prevê um outro corte dos gastos ministeriais, já reduzidos nos orçamentos de 2012 para 600 milhões de euros (R$ 1,5 bilhão). A nova medida inclui corte de 20% nas subvenções aos partidos políticos, sindicatos de trabalhadores e patronais em 2013.

O aumento do Imposto sobre Valor Agregado (IVA) vai permitir economia de mais 65 bilhões de euros (R$ 165 bilhões) além do que estava previsto antes.

Além disso, dadas as circunstâncias da economia, excepcionalmente graves, em 2012 será suspenso o abono de Natal, que equivalia ao 14º salário, disse Rajoy.

As medidas também afetam os desempregados -em um país com uma taxa de desemprego de 24,44%. O auxílio-desemprego será reduzido a partir do sexto mês de 50% a 60% da base reguladora.

Para um país que entrou em recessão no primeiro trimestre e com projeção de crescimento de 1,7% para 2012, estas medidas tentam cumprir as exigências europeias para permitir que a Espanha suavize sua meta de déficit a 6,3% este ano, um ponto a mais que o previsto, após os 8,9% de 2011.

Para 2013, a Espanha terá que reduzir seu déficit a 4,5% e a 2,8% em 2014.

(Com informações da AFP)

PUBLICIDADE