Bolsas

Câmbio

Lucro do Itaú Unibanco cai mais de 8% no 2º trimestre, com alta de calotes

Do UOL, em São Paulo

O Itaú Unibanco (ITUB4.SA) encerrou o segundo trimestre com lucro líquido de R$ 3,304 bilhões, uma queda de 8,22% em relação aos R$ 3,6 bilhões obtidos um ano antes. Em relação ao trimestre anterior, houve retração de 3,56%. Entre os motivos estão o crescimento dos calotes e o aumento anual nas despesas com perdas com crédito. 

Em termos recorrentes (excluindo ganhos e perdas extraordinárias), o Itaú Unibanco teve lucro líquido de R$ 3,585 bilhões, de acordo com o esperado pelo mercado, segundo pesquisa da agência de notícias Reuters com analistas, e acima dos R$ 3,317 bilhões obtidos um ano antes.

O resultado do Itaú Unibanco foi divulgado após o rival Bradesco (BBDC4.SA) anunciar na véspera que encerrou o segundo trimestre com lucro líquido recorrente de R$ 2,867 bilhões.

Aumento de calotes

A carteira de empréstimos a consumidores teve um índice de inadimplência avançando de 6,7% no primeiro trimestre para 7,3% nos três meses encerrados em junho, enquanto os calotes de pessoa jurídica recuaram de 3,7% para 3,5% no período. 

Do lado das provisões para devedores duvidosos, o Itaú também informou que deve ter de R$ 6 bilhões e R$ 6,5 bilhões em despesas no terceiro trimestre. O volume é inferior ao intervalo entre R$ 6,5 bilhões e R$ 7,1 bilhões que havia sido projetado antes. Porém, o Itaú afirmou que ainda deve ter de R$ 5,7 bilhões a R$ 6,2 bilhões em despesas com provisões no último trimestre do ano. O banco ainda não tinha informado esse número.

No segundo trimestre, o banco também sofreu com a venda da participação de 18,87% que detinha no banco português BPI. Isso gerou um resultado negativo de R$ 205 milhões no período.

Crescimento menor da carteira de crédito 

A carteira de crédito do Itaú Unibanco atingiu R$ 356,789 bilhões, com expansão de 2,71% no trimestre e de 12,56% em 12 meses.

Após o segundo trimestre, a instituição alterou sua previsão de expansão da carteira de crédito em 2012, estimando crescimento de 13% a 15% este ano, cálculo que exclui operações de financiamento de veículos a consumidores.

Anteriormente, o banco previa alta de 14% a 17% na carteira de crédito este ano, num ritmo mais lento que o apresentado em 2011. 

No balanço divulgado nesta terça-feira, o banco alertou os investidores para o encolhimento que a carteira de veículos para pessoas físicas sofrerá. Hoje em R$ 56,5 bilhões, o estoque de financiamento de automóveis deve encerrar o ano entre R$ 50 bilhões e R$ 52 bilhões.

Ativos e eficiência

O banco apurou margem financeira de R$ 13,469 bilhões de abril a junho ante R$ 11,921 bilhões no segundo trimestre do ano passado.

As receitas com prestação de serviços e tarifas somaram R$ 5,078 bilhões, expansão de 8,7% na comparação anual.

Os ativos totais ficaram em R$ 888,809 bilhões, com queda de 0,89% em relação ao primeiro trimestre. Em 12 meses, houve crescimento de 11,98%.

Em relação à eficiência, o Itaú informou que o índice deve ter uma melhoria de dois a três pontos percentuais neste ano. No primeiro trimestre, o indicador do banco estava em 44,5% e teve uma leve piora de abril a junho, para 45%. Quanto menor esse índice, mais eficiente é um banco.

(Com informações da Reuters e do Valor)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos