IPCA
0.01 Jun.2019
Topo

Maioria dos clientes troca milha de cartão por produto, e não por passagem

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Aiana Freitas

Do UOL, em São Paulo

2014-07-02T06:00:00

02/07/2014 06h00

A maioria dos consumidores cadastrados em programas de fidelidade dos cartões de crédito costuma trocar seus pontos por produtos, como utensílios para casa, revistas e roupas. As passagens aéreas são a segunda opção mais comum, e são resgatadas, principalmente, por consumidores de renda mais alta.

Os dados constam de uma pesquisa realizada em abril pela consultoria CVA Solutions e obtida com exclusividade pelo UOL. O estudo foi feito pela internet com 6.029 consumidores que são titulares de cartões.

Mais da metade dos entrevistados disseram ser cadastrados em algum programa de recompensa. Desses, 46,6% afirmaram que já usaram os benefícios do programa.

Segundo o estudo, 65,2% dos consumidores que fizeram uso das recompensas trocaram seus pontos por produtos diversos. Passagens aéreas (41,6%), minutos gratuitos no celular (13,2%) e hospedagem em hotel (10,9%) foram outros dos produtos ou serviços mais resgatados nesses programas.

Alguns consumidores já fizeram trocas por mais de um produto ou serviço (por isso a soma dos percentuais supera 100%).

Como os consumidores gastam os pontos do cartão

  • Troca por produtos diversos (utensílios, revistas, roupas etc.)

    65,2%

  • Resgate de passagens aéreas

    41,6%

  • Troca por minutos gratuitos para o celular

    13,2%

  • Troca por voucher/hospedagens em hotel

    10,9%

  • Outros

    12,3%

Troca de pontos é influenciada pela renda do consumidor

O estudo da CVA mostra que o tipo de produto ou serviço trocado nos programas de recompensa varia conforme a renda do consumidor. As passagens aéreas, que geralmente exigem um maior número de pontos para serem resgatadas, são opções mais comuns entre os clientes de alta renda.

Entre os que recebem a partir de R$ 6.001 por mês, 60,7% disseram já terem resgatado passagens de avião nesses programas. Apenas 6,2% fizeram a troca por minutos gratuitos no celular.

O cenário é diferente daquele observado entre os consumidores com renda mensal individual de até R$ 2.000. Nesse caso, 70,9% afirmaram já terem resgatado, com os pontos, produtos diversos.

Além disso, 28,6% disseram que usaram os pontos para trocar por passagens aéreas (índice bem menor do que o registrado na alta renda) e 20,5% trocaram por minutos gratuitos para falar no celular (percentual bem maior do que aquele observado entre os que ganham mais).

Metodologia da pesquisa

A pesquisa da CVA Solutions foi feita com 6.059 consumidores de cartões de crédito. A margem de erro é de 1,3 ponto, com 95% de confiabilidade (ou seja: o resultado se repetiria em 95% das vezes em que a pesquisa fosse refeita).

A quantidade de entrevistados foi ponderada de acordo com a região do país e o sexo (cerca de metade eram mulheres e metade, homens). Os consumidores foram divididos em três classes de renda, que pertencem, segundo a CVA, ao público-alvo das emissoras de cartões de crédito.

Mais Economia