Topo

Cachaça


Pinga Maria Andante entra na guerra de marca com O Andante e Johnnie Walker

Montagem/Divulgação
Johnnie Walker inspirou João Andante (atualmente, O Andante) e Maria Andante Imagem: Montagem/Divulgação

Aiana Freitas

Do UOL, em São Paulo

2014-11-14T06:00:00

14/11/2014 06h00

Uma empresa mineira lançou há pouco mais de uma semana a cachaça Maria Andante, gerando reclamação da concorrente O Andante e um processo da multinacional Diageo, dona da marca de uísque Johnnie Walker.

A Maria Andante é produzida em Taboão de Passa Quatro (MG) pela Uno Cachaças Finas. A bebida é vendida nas versões ouro e prata a preços que variam de R$ 58,90 a R$ 65.

A Diageo considera o nome um plágio de Johnnie Walker (na tradução literal do inglês, Joãozinho Andante) e entrou com processo administrativo no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) no começo de 2013, quando a marca foi registrada, pedindo sua suspensão.

Diageo conseguiu suspensão da marca João Andante

O processo é semelhante ao que foi movido pela Diageo contra outra cachaça artesanal mineira. Criada em  2008, a João Andante perdeu o processo e teve mudar de nome. Desde maio deste ano, chama-se O Andante. A empresa não tem nenhuma relação com a fabricante da Maria Andante.

"Estamos exercendo o direito de defender e preservar uma marca já estabelecida no mercado de usos indevidos, bem como de proteger os consumidores de marcas que possam gerar comparação, mesmo que somente em parte", diz comunicado da multinacional.

A Uno Cachaças Finas acusa a Diageo de tentar "cercear uma pequena empresa nacional que contribui com o Fisco e emprega famílias de exercer suas atividades econômicas".

O processo ainda não tem data para ser decidido. "Acho que temos grandes chances de ganhar. Cachaça é muito diferente de uísque, e o nome Maria não é como João, não é uma tradução de Johnnie", diz a diretora da empresa, Arianne Silvério.

'Esperávamos um pouco mais de criatividade'

Além de desagradar a Diageo, porém, a Maria Andante tem gerado reclamações dos criadores da antiga João Andante (atual O Andante).

"Quando soubemos do nome, até ficamos lisonjeados, encaramos como um tipo de homenagem à João Andante. Mas, quando vimos o produto, foi uma triste surpresa perceber que eles copiaram descaradamente a nossa embalagem", diz Magno Carmo, um dos sócios da O Andante.

Para ele, o uso de uma garrafa e de uma caixa de madeira semelhantes demonstram que a Uno Cachaças Finas tem a "nítida intenção de enganar o consumidor".

"Estamos recebendo ligações de consumidores achando que nós é que produzimos a Maria Andante", diz Carmo. "A gente esperava um pouco mais de criatividade."

Ideia foi criar cachaça feminina, diz diretora da marca

Arianne Silvério nega que a empresa tenha tido a intenção de prejudicar a concorrente e diz que a ideia do nome Maria Andante surgiu de uma conversa de bar entre amigas. "Queríamos criar uma cachaça feminina", afirma.

A empresa também diz, por meio de nota, que existe mercado para ambas as marcas.

"A empresa entende ainda que a chegada da Maria Andante não acarretará prejuízos ao fabricante da O Andante, tendo em vista a qualidade de ambas as bebidas e o modo de produção diferenciado. Pelo contrário, as vendas podem se fortalecer, formando uma parceria de sucesso entre as duas marcas”, diz a nota.

Carmo, da O Andante, diz que a empresa não foi procurada para discutir parcerias e que não descarta processar a concorrente feminina.

Mais Cachaça