Bolsas

Câmbio

RJ tem maior salário médio na indústria, de R$ 3.426; PB, o menor: R$ 1.338

Do UOl, São Paulo

  • Rafael Andrade/Folhapress

O Rio de Janeiro é o Estado onde o trabalhador da indústria tem o maior salário, em média: R$ 3.426. Por outro lado, na Paraíba os funcionários da indústria ganham, em média, menos da metade disso: R$ 1.338,10.

Os dados são referentes a 2014 e fazem parte do estudo "Perfil da Indústria nos Estados", elaborado pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) e divulgado neste domingo (1º). 

Esses são números médios e podem variar caso a caso. Como os dados são de 2014, a situação deve ter mudado bastante, pois a indústria do Rio foi uma das mais afetadas com a crise da Petrobras e as investigações da Lava Jato.

De acordo com o levantamento, o salário médio pago pela indústria no Brasil é R$ 2.263,40. Quem puxa essa média para cima são Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal. Nos outros 24 Estados, porém, a remuneração é mais baixa. 

Salário médio na indústria por Estado (do maior para o menor): 

  • Rio de Janeiro: R$ 3.426
  • Distrito Federal: R$ 2.588,60
  • São Paulo: R$ 2.732,90
  • Média nacional: R$ 2.263,40
  • Roraima: R$ 2.185,80
  • Tocantins: R$ 2.127,60
  • Bahia: R$ 2.119,70
  • Amazonas: R$ 2.109,10
  • Espírito Santo: R$ 2.074,20
  • Rio Grande do Sul: R$ 2.024,70
  • Amapá: R$ 2.019,90
  • Paraná: R$ 1.962,30
  • Minas Gerais: R$ 1.950,70
  • Sergipe: R$ 1.907,60
  • Rondônia: R$ 1.890,40
  • Santa Catarina: R$ 1.889
  • Goiás: R$ 1.848,70
  • Mato Grosso do Sul: R$ 1.827,90
  • Maranhão: R$ 1.805,30
  • Pernambuco: R$ 1.768,10
  • Mato Grosso: R$ 1.767,40
  • Acre: R$ 1.649,90
  • Rio Grande do Norte: R$ 1.624,10
  • Pará: R$ 1.593,30
  • Piauí: R$ 1.455,50
  • Alagoas: R$ 1.451,70
  • Ceará: R$ 1.371,50
  • Paraíba: R$ 1.338,10

Indústria perde espaço

O estudo da CNI aponta, também, que a indústria perdeu peso em relação aos demais setores da economia. Entre 2010 e 2013, a participação da indústria no PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil caiu de 27,4% para 24,9%.

Isso aconteceu também em 22 Estados e no Distrito Federal. As maiores quedas foram:

  • Bahia: -6,6 pontos
  • Amazonas: -5,7
  • Tocantins: -4,3
  • São Paulo: -4,2
  • Piauí: -3,9

O setor industrial só ganhou importância no PIB do Amapá (+5,5 pontos), Maranhão (+2,2), Espírito Santo (+1,9) e Rio de Janeiro (+0,7).

A indústria de São Paulo perdeu um pouco de espaço ao se considerar toda a produção nacional. Em 2010, o Estado era responsável por 32,1% de todos os produtos industrializados fabricados no Brasil; em 2013, esse número caiu para 28,6%.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos