Bolsas

Câmbio

Meirelles diz que economia terá metas realistas e busca apoio do Congresso

Do UOL, em São Paulo

  • Pedro Ladeira/Folhapress

O ministro da Fazenda do governo Michel Temer, Henrique Meirelles, disse nesta sexta-feira (13), em seu primeiro pronunciamento e entrevista coletiva no cargo, que sua primeira mensagem ao mercado é que as metas do governo agora vão ser anunciadas com realismo, e quando tiverem chance de serem aprovadas no Congresso Nacional.

Ele não citou o governo Dilma, mas essa era uma das principais críticas à administração petista: que as metas eram irreais e descumpridas sistematicamente. A relação com o Congresso (Câmara e Senado) também foi ruim no governo Dilma.

O ministro mencionou mais de uma vez a necessidade de ter apoio entre deputados e senadores para as medidas econômicas.

"As metas têm de ser anunciadas com realismo. É minha primeira mensagem aqui hoje. Natural que [o mercado] espere o anúncio da primeira medida", mas disse que não quer fazer nada precipitado e as medidas serão anunciadas nos próximos, quando ficarem prontas.

"Temos pressa por um lado, mas por outro lado as medidas precisam ser definitivas."

Para ele, é preciso fazer em vez de falar. "Não adiantam afirmações. Devemos ter medidas concretas, com grande chance de serem aprovadas pelo Congresso. A partir daí o nível de confiança [do mercado na economia] começa a se reverter".

"As medidas devem ser consistentes, para que sejam tomadas e não sejam revertidas. O problema são metas anunciadas que depois não se confirmam", disse o ministro.
 

Meirelles diz que direito adquirido na aposentadoria é conceito impreciso

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos