Doente tem mais tempo para sacar FGTS inativo, mas dinheiro não sai na hora

Marcela Lemos e Ricardo Marchesan

Colaboração para o UOL e do UOL, no Rio de Janeiro e em São Paulo

O prazo para a maioria das pessoas sacar o dinheiro de contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) terminou na segunda-feira (31), mas quem não pôde ir a uma agência da Caixa Econômica Federal entre 10 e 31 de julho por causa de uma doença grave ou porque estava preso terá um prazo maior para retirar os recursos: até 31 de dezembro de 2018.

Nesses casos, porém, o trabalhador não recebe o dinheiro na hora. É preciso ir a uma agência da Caixa levando um comprovante de sua situação e, depois, são necessários até cinco dias úteis para o dinheiro ser liberado, segundo a Caixa. Esse prazo pode ser ainda maior. "Caso a documentação não esteja completa ou os dados estejam inconsistentes, o prazo de atendimento pode ser estendido", afirma o banco em nota enviada ao UOL.

Provas da doença ou da prisão

Quem não foi a uma agência por causa de doença deve levar o atestado médico que comprove a impossibilidade, além da carteira de trabalho com o registro do fim do contrato de trabalho ou outro documento que comprove isso, como a rescisão.

No caso de presos, o documento de comprovação é a certidão da Vara de Execução Penal, da Vara de Execução Criminal ou do juízo responsável que decretou a prisão. Também é possível pedir o documento para a autoridade da unidade prisional.

Algumas pessoas ainda receberão o dinheiro

Até segunda-feira (31), tinha direito ao saque do FGTS inativo o trabalhador com carteira assinada que pediu demissão ou foi demitido por justa causa até 31 de dezembro de 2015.

As agências da Caixa, porém, ainda devem ter movimento de pessoas para sacar o dinheiro nos próximos dias. Isso porque alguns trabalhadores que regularizaram dados de seu cadastro em uma agência da Caixa na última segunda ainda vão receber o dinheiro até o dia 7.

Sem contar esses casos excepcionais, agora só é possível sacar o FGTS de contas inativas seguindo as regras antigas: ao se aposentar ou se for comprar a casa própria, por exemplo.

Em alguns casos de doenças graves, o dinheiro de todas as contas do FGTS pode ser sacado a qualquer momento, independentemente do prazo. Isso vale, por exemplo, se o trabalhador ou seu dependente for portador do vírus HIV, tiver câncer ou estiver em estágio terminal.

Movimento em agências do Rio e SP é baixo

Nesta terça-feira (1º), o movimento era tranquilo em agências da Caixa visitadas pelo UOL no Rio de Janeiro e em São Paulo. 

A secretária Sandra Martins, 51, foi pela manhã a uma agência na rua do Catete, na zona sul do Rio, porque pensou que o prazo de saques do FGTS inativo ainda estava valendo. 

"Me confundi. Achei que o último dia seria hoje. Tinha R$ 1.000 para receber. Nesta crise que estamos, qualquer R$ 100 fazem diferença no orçamento", lamentou. "Mas perdi o prazo. Paciência."

A tranquilidade desta terça nas agências era bem diferente da véspera, quando muitas pessoas correram ao banco para retirar o dinheiro ou em busca de informações.

Na agência da rua do Catete, o tempo de espera para sacar o benefício no último dia do prazo chegou a quase três horas. Segundo funcionários, o último trabalhador a ser atendido saiu do local às 18h30.

Ele tinha R$ 15 mil no FGTS; gastou metade em fim de semana na praia

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos