Bolsas

Câmbio

Juros

Com inflação menor, poupança tem maior ganho em 11 anos, diz estudo

Do UOL, em São Paulo

A tradicional caderneta de poupança tem ganhado força com a desaceleração da inflação em 2017. No acumulado do ano até agosto, a aplicação financeira mais popular do país registrou ganho real* (descontada a inflação no período) de 3,16%, segundo levantamento da Economatica divulgado nesta sexta-feira (8).

O resultado representa o maior ganho real da poupança para o período em 11 anos. De acordo com a empresa, que fornece informações financeiras, o rendimento foi de 3,76% nos primeiros oito meses do ano de 2006.

No acumulado de 12 meses até agosto de 2017, a aplicação teve ganho real de 5,05%. 

A poupança teve desempenho melhor nos últimos 12 meses do que outras aplicações, como ouro, dólar e euro, mas perde para os ganhos da Bolsa e dos CDIs (Certificados de Depósito Interbancário).

Vale lembrar que a poupança não tem incidência de Imposto de Renda. Veja o desempenho de cada aplicação em 12 meses, já descontada a inflação, segundo a Economatica:

  • Ibovespa: +19,41%
  • CDI: +9,36%
  • Poupança: +5,05%
  • Euro: +1,17%
  • Dólar: -5,2%
  • Ouro: -6,22%

Poupança passa a render menos

Com a redução da taxa básica de juros para 8,25%, a Selic, pelo Banco Central na quarta-feira, a caderneta de poupança passa a render menos. 

A queda da taxa abaixo de 8,5% ao ano aciona uma regra que derruba o rendimento de 6,17% ao ano mais TR (Taxa Referencial) para 70% da taxa Selic vigente mais TR.

A mudança começou a valer em 2012 para evitar que essa aplicação rendesse mais que outros investimentos de renda fixa, especialmente os títulos emitidos pelo próprio Tesouro para financiar o governo.

Inflação em baixa

Nesta semana, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou que a inflação oficial no país ficou em 0,19% agosto, a menor para o mês em 7 anos, desde 2010 (0,04%)

Em 12 meses, o índice acumulado é de 2,46%, abaixo do limite mínimo da meta do governo e o menor para o período desde fevereiro de 1999 (2,24%). 

Depósitos superaram saques

Em agosto, os brasileiros colocaram mais dinheiro na poupança do que sacaram: foram R$ 2,144 bilhões a mais, segundo o Banco Central, no quarto mês seguido de resultado positivo.

O saldo foi o melhor para o mês desde 2013, quando o ingresso foi de R$ 4,646 bilhões.

No acumulado dos oito primeiros meses do ano, no entanto, a poupança ainda tem saldo negativo de R$ 7,811 bilhões.

*A Economatica ressalta que o cálculo do ganho real não é a simples subtração entre o ganho nominal da poupança e a inflação do período. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos