Bolsas

Câmbio

Pela 1ª vez em 5 anos, país melhora em competitividade, diz Fórum Econômico

Do UOL, em São Paulo

  • Marcelo Justo/Folhapress

O Brasil subiu uma posição no ranking de competitividade divulgado nesta terça-feira (26) pelo Fórum Econômico Mundial em parceria com a Fundação Dom Cabral, ficando na 80ª posição entre os 137 países analisados.

É a primeira alta em cinco anos. A última vez que o Brasil havia melhorado no Relatório Global de Competitividade foi em 2012, quando chegou à 48ª posição. Desde então, foi caindo. Apesar da melhora, ainda está muito distante do número de 2001, quando estava em 44º lugar.

"Apesar de um ganho tímido de uma posição, o país avança em pontos-chave para a retomada do crescimento e do desenvolvimento", afirma o estudo, ressaltando que o Brasil melhorou em 10 das 12 categorias estudadas.

Corrupção preocupa

O relatório combina dados estatísticos de fontes oficiais com uma pesquisa de opinião de empresários do país.

De acordo com o relatório, a evolução brasileira se deu, principalmente, em aspectos institucionais como o combate à corrupção e a liberdade do poder Judiciário.

Ainda assim, a corrupção aparece como a terceira maior preocupação, na opinião dos entrevistados.

Eles responderam quais fatores são mais problemáticos para fazer negócios no país. Em 2017, os impostos permanecem como o maior desafio, seguido da corrupção e da ineficiência da burocracia estatal.

Entre as variáveis analisadas, o Brasil é o pior país em "confiança em políticos", ocupando a última posição no ranking, nesse aspecto.

A reforma trabalhista, recentemente aprovada e que vai entrar em vigor no dia 11 de novembro, teve impacto positivo na opinião dos empresários.

Suíça lidera

No topo do ranking geral está a Suíça, que ocupa o posto há oito anos. O relatório aponta o país como uma das economias mais complexas do mundo.

Confira os 10 primeiros colocados:

  1. Suíça
  2. Estados Unidos
  3. Cingapura
  4. Holanda
  5. Alemanha
  6. Hong Kong
  7. Suécia
  8. Reino Unido
  9. Japão
  10. Finlândia

Chile lidera na América Latina

O Chile ainda é o país mais competitivo da América Latina, na 33ª posição. A Costa Rica (47º) e a Argentina (92º) também registraram avanços significativos, subindo 7 e 14 posições, respectivamente.

Além do Chile e da Costa Rica, Panamá (50º), México (51º), Colômbia (66º), Peru (72º) e Uruguai (76º) estão à frente do Brasil.

"Estamos no primeiro estágio", diz professor

Para Carlos Arruda, professor da Fundação Dom Cabral, a estabilização brasileira no ranking sinaliza a sensação do empresariado, mostrando um aumento da confiança em que o país retome o caminho do crescimento.

Essa confiança pode virar investimentos, internos e externos. Se isso acontecer, pode levar ao aumento de emprego e, dependendo de outros fatores, como a qualificação da mão de obre, gerar aumento da produtividade, criando um "ciclo virtuoso", segundo o professor.

"Estamos no primeiro estágio, no primeiro degrau", afirma Arruda. "Estamos longe ainda da produtividade, mas na direção correta."

Fundação divulga outro ranking de competitividade

Esse não é o único ranking de competitividade divulgado pela Fundação Dom Cabral anualmente.

Em maio, a instituição já tinha lançado outra lista do tipo, mas em parceria com o IMD (International Institute for Management Development), que apontava o Brasil em 61º lugar entre 63 países, caindo quatro posições em um ano e ficando apenas à frente de Mongólia e Venezuela.

Segundo Carlos Arruda, a diferença entre os rankings é metodológica.

Os dois relatórios combinam a percepção de empresários com estatísticas e índices de instituições oficiais, como Banco Central, Banco Mundial e FMI, mas o ranking divulgado com o IMD dá mais peso aos dados estatísticos, enquanto o lançado agora leva mais em conta a opinião dos empresários.

Arruda afirma que, por causa dessas diferenças, o ranking de maio é ancorado no passado, no caso, o cenário entre 2016 e 2017. Já o relatório com o Fórum Econômico reflete expectativas e tendências para o futuro.

É por isso que um ranking apontou queda do Brasil, e outro, melhora.

Metodologia

Para o Fórum Econômico Mundial, competitividade é o conjunto de instituições, políticas e fatores que determinam o nível de produtividade de um país, que por sua vez define o nível de prosperidade.

O ranking é realizado desde 1979 e analisa 114 variáveis, em 12 categorias:

  • Instituições
  • Infraestrutura
  • Ambiente macroeconômico
  • Saúde e educação primária
  • Educação superior e treinamento
  • Eficiência do mercado de bens
  • Eficiência do mercado de trabalho
  • Desenvolvimento do mercado financeiro
  • Prontidão tecnológica
  • Tamanho de mercado
  • Sofisticação empresarial
  • Inovação

No Brasil, a Fundação Dom Cabral é responsável pela pesquisa de opinião com os empresários, e ouviu 103 executivos no período entre março e maio deste ano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos