Maia diz não ter números e pressiona PSDB a se posicionar sobre Previdência

Do UOL, em São Paulo

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), negou nesta quarta-feira (6) que haja impasse sobre a data de votação da reforma da Previdência e afirmou que o PSDB "precisa dizer" se é contra ou a favor da proposta.

A cúpula do PSDB se reuniu nesta manhã, mas não definiu ainda se vai fechar questão ou não sobre a reforma, ou seja, se vai orientar que os parlamentares votem a favor da reforma, impondo punições aos "traidores". O presidente interino do PSDB, Alberto Goldman, decidiu não tratar do assunto agora, por causa da resistência à ideia.

Leia também:

O que eu acho que o PSDB precisa dizer é se ele é contra ou a favor, e quantos são a favor, para que a gente possa entender se tem ambiente para votar a matéria.

Rodrigo Maia, presidente da Câmara

Maia afirmou que o governo tem dificuldade para conseguir votos "em todos os partidos", não apenas no PSDB. "Não é um problema simples", afirmou.

Ele desconversou sobre a projeção do governo de votos favoráveis à reforma. Para que ela seja aprovada, é preciso 308 votos, em dois turnos.

Eu não tenho esses números, não participei de nenhuma reunião que tratou de números e acho que divulgar números não ajuda".

O Planalto esperava garantir 330 votos antes de levar o texto para votação, mas admite baixar essa meta para 290, para que o texto vá ao plenário da Câmara na próxima terça-feira (12).

Sem falar em números, Rodrigo Maia voltou a dizer que só marcará a votação quando tiver a perspectiva de vitória.

Eu não vou botar essa matéria para que, com uma expectativa de derrota, a gente tenha um resultado muito pior do que a realidade do plenário. Porque, se tiver um sentimento de que a matéria vai ser derrotada, você vai ter 100 votos no plenário.

Mais continuou: "Não sei se o governo vai ter os votos hoje. Vamos aguardar. Hoje pela manhã a gente não tinha os votos. Vamos ver se à noite essa consolidação de votos aparece."

A reforma da Previdência é a prioridade do governo, que tem dificuldade para conseguir os votos necessários com sua base.

A proposta de mudança nas regras de aposentadoria é vista como uma medida impopular, ainda que seja um desejo do mercado. Por isso deputados resistem em garantir o voto favorável, especialmente com a proximidade das eleições do ano que vem. 

Temer pede apoio da população para aprovar reforma da Previdência

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos