ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Prévia da inflação encerra o ano abaixo da meta, no menor nível em 19 anos

Do UOL, em São Paulo

21/12/2017 09h08

IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor - Amplo 15), considerado uma prévia da inflação oficial (IPCA), ficou em 0,35% em dezembro, após registrar 0,32% no mês passado. 

Com o resultado, a prévia acumulada no ano é de 2,94%, menor resultado em 19 anos, desde 1998 (1,66%) e abaixo da meta de inflação do governo.

O que você faz para driblar a crise?

Resultado parcial

Total de 23998 votos
13,01%
5,16%
56,24%
18,60%
6,99%
Total de 23998 votos

O objetivo em 2017 é manter a inflação em 4,5% ao ano, mas há uma tolerância de 1,5 ponto, ou seja, pode variar entre 3% e 6%. 

Este ano deve ser o primeiro em que a inflação termina abaixo do objetivo desde que o sistema de metas foi adotado. O BC descumpriu a meta três vezes nas últimas duas décadas, mas em todos esses casos entregou a inflação acima do objetivo.

Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quinta-feira (21).

Gasolina e gás de cozinha sobem

O aumento de 2,75% no preço da gasolina em dezembro foi um dos fatores que mais contribuíram para a prévia da inflação no mês.

Segundo o IBGE, o encarecimento do combustível se deve à alta no preço do combustível nas refinarias, decidida pela Petrobras.

Outro item que foi reajustado pela Petrobras é o gás de cozinha, que registrou alta de 0,8% no mês.

No início de dezembro, a estatal autorizou aumento médio, nas refinarias, de 8,9% no preço do gás vendido em botijões de 13 quilos.

Conta de luz fica mais cara

O IPCA-15 também foi puxado por despesas com a conta de luz (+0,77%), apesar de a alta ter desacelerado em relação a novembro (+4,42%).

O aumento de 0,77% se deve à vigência, a partir de 1º de dezembro, da bandeira tarifária vermelha patamar 1, uma taxa extra de R$ 3 a cada 100 quilowatts-hora consumidos, nas tarifas cobradas aos consumidores.

No mês anterior, vigorou a bandeira tarifária vermelha patamar 2, que implicava em taxa extra de R$ 5 por cada 100 quilowatts-hora consumidos.

Bilhete aéreo dispara mais de 22%

Também subiram os preços das passagens aéreas (+22,34%) e do etanol (+4,34%).

Por outro lado, os gastos com ônibus urbanos caíram 1,04%, devido à redução da tarifa no Rio de Janeiro em 15 de novembro.

Feijão carioca cai 5%

Os preços dos alimentos seguiram a tendência de queda e ficaram levemente mais baratos (-0,02%).

Os destaques são o feijão carioca (-5,02%), a batata inglesa (-3,75%) e o tomate (-2,88%). Já o óleo de soja (+1,92%) e as carnes (+0,41%) ficaram mais caros.

Juros X Inflação

Os juros são usados pelo BC para tentar controlar a inflação. De modo geral, quando a inflação está alta, o BC sobe os juros para reduzir o consumo e forçar os preços a caírem. Quando a inflação está baixa, como agora, o BC derruba os juros para estimular o consumo. 

Na última reunião do Copom (Comitê de Política Monetária (Copom) do BC, o órgão decidiu cortar a taxa de juros pela décima vez seguida. Ela passou de 7,5% para 7% ao ano.

Metodologia

O IPCA-15 refere-se às famílias com rendimento de um a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia.

A metodologia utilizada é a mesma do IPCA, considerada a inflação oficial; a diferença está no período de coleta dos preços e na abrangência geográfica.

(Com Reuters)

Mais Economia