PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Posto de combustíveis aproveita demanda e antecipa inauguração na Bahia

Posto antecipou venda de combustíveis e gerou fila de carros em Vitória da Conquista - Divulgação/Blog do Anderson
Posto antecipou venda de combustíveis e gerou fila de carros em Vitória da Conquista Imagem: Divulgação/Blog do Anderson

Jéssica Nascimento

Colaboração para o UOL

28/05/2018 12h40

Um posto, que ainda não havia sido inaugurado, decidiu mudar os planos e antecipar a venda de combustíveis em Vitória da Conquista na última sexta-feira (25). Com a demanda em alta por causa da greve dos caminhoneiros, que completou oito dias nesta segunda, a decisão do proprietário do estabelecimento gerou uma gigantesca fila na cidade baiana.

Como todos os concorrentes da cidade estavam sem gasolina, a notícia da inauguração forçada do posto com bandeira da Petrobras logo correu pela cidade, resultando em fila de carros que ultrapassou dois quarteirões. O local só seria aberto no dia de 16 de junho.

Segundo os motoristas, que aguardaram na fila pelo combustível, por volta de 16h de sábado (26) já não havia mais combustível disponível. A direção do posto informou que seis mil litros de gasolina e etanol, além 10 mil litros de diesel foram colocados à venda. O produto estava nos tanques do posto à espera da inauguração. Cada cliente poderia gastar até R$ 50.

O engenheiro agrônomo Raudenes Oliveira, de 55 anos, contou ao UOL que esperou 12 horas na fila para abastecer. Porém, não conseguiu a gasolina que estava sendo vendida por R$ 4,79. Pessoas que foram com galões, para levar combustível para casa, também foram barradas. Segundo a direção do posto, o produto estará disponível apenas para quem tiver com recipiente autorizado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

Leia mais:

"O valor não estava abusivo, como vimos em muito postos. Por isso todo mundo correu pra lá, inclusive eu. Infelizmente quando estava perto da minha vez, avisaram que a gasolina havia acabado. Como eu só tinha combustível pra voltar pra minha casa, o carro teve que ficar na garagem. Estou tendo que me virar pra trabalhar", disse o engenheiro agrônomo.

Segundo Oliveira, cerca de dois mil motoristas estavam na fila aguardando pelo combustível. Houve confusão entre alguns clientes, e a Polícia Militar foi chamada. Procurada pela reportagem, a PM não respondeu aos contatos.

Nesta segunda-feira (28), o posto voltará a abrir para vender diesel. Não há mais gasolina comum e aditivada, assim como etanol.