ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Gasolina em São Paulo sobe até 26% após greve de caminhoneiros

Do UOL, em São Paulo

06/06/2018 04h00

Após a greve dos caminhoneiros, postos de São Paulo visitados pelo UOL estão vendendo gasolina de 3,7% a 26% mais cara em relação à média antes da paralisação.

Segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), o preço médio da gasolina pesquisado em 180 postos da cidade de São Paulo na semana de 13 a 19 de maio, antes da greve dos caminhoneiros, era de R$ 4,048 por litro.

Leia também:

A reportagem do UOL pesquisou o preço do combustível em oito postos na zona oeste de São Paulo na manhã de segunda-feira (4), após o fim da greve, e encontrou os seguintes preços:

  • 1 posto: R$ 4,199 
  • 5 postos: R$ 4,299 
  • 1 posto:  R$ 4,377
  • 1 posto: R$ 5,099

No posto com o combustível mais barato (R$ 4,199), o aumento em relação ao preço da semana anterior à greve foi de 3,7%. No caso do posto com a gasolina mais cara (R$ 5,099), a alta foi de 25,96%. O levantamento é uma amostragem pequena, em oito postos da região oeste de São Paulo, e não reflete os preços praticados em toda a cidade. Pode haver preços menores e maiores.

De acordo com José Alberto Paiva Gouveia, presidente do Sincopetro (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo), os postos são livres para estipular o preço do combustível.

“Como o preço é livre, cada um toma sua medida. Quem vai regular isso será o próprio mercado. Os donos terão que viver com o mercado competitivo. A gente vai ter que esperar até que isso se normalize. O mercado está se regularizando”, disse ele. 

Em São Paulo, diesel não está chegando com desconto

A greve dos caminhoneiros começou no dia 21 de maio e durou 11 dias. A categoria conseguiu fechar um acordo com o governo para reduzir em R$ 0,46 o preço do litro do diesel nos postos de combustível. Apesar da redução, proprietários de postos dizem que estão recebendo o diesel sem o desconto definido pelo governo.

Essa redução foi restrita ao diesel e não significou queda nos preços para quem abastece o carro com gasolina ou etanol.

Veja dicas para economizar combustível no seu carro

Mais Economia