IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Caixa reabre financiamento de casa que era o 2º mais barato, mas juro sobe

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Natalia Gómez

Colaboração para o UOL, em Maringá (PR)

02/02/2019 04h00Atualizada em 04/02/2019 13h40

A Caixa Econômica Federal retomou em janeiro o financiamento imobiliário da linha Pró-Cotista, que havia sido suspenso em meados de 2018. Essa modalidade de crédito já foi a segunda mais vantajosa para financiar a casa própria depois do Minha Casa Minha Vida, mas hoje as taxas superam outras, como as do Sistema Financeiro Habitacional (SFH), cujas taxas caíram em agosto.

A linha Pró-Cotista subiu a taxa mínima para 8,76% ao ano. Antes era de 7,85%. Segundo o banco, esse aumento reflete o fim de descontos que eram concedidos aos clientes na hora da contratação do crédito, desde que se tornassem clientes do banco e contratassem um pacote de serviços da Caixa. A taxa máxima não sofreu alteração e continua em 9,01% ao ano.

Com a mudança, a linha Pró-Cotista deixou de ser mais vantajosa que as operações pelo SFH, que hoje têm taxas mínimas de 8,75%. Desde agosto de 2018, as taxas do SFH caíram de entre 9% e 10,50% para entre 8,75% e 10,25%.

Prazo varia de 60 a 360 meses

O empréstimo Pró-Cotista não tem limite de renda bruta para o contratante, e o prazo varia entre 60 e 360 meses. O crédito pode ser usado para compra de imóveis novos ou usados, compra de terreno e construção.

Com taxa mínima menor que o Pró-Cotista, a Carta de Crédito SFH (taxa de 8,75% até 10,25%) também não tem limite de renda bruta, e o prazo varia entre 120 e 420 meses. O financiamento pode ser usado para comprar imóveis novos ou usados, comprar terreno e construir por até R$ 1,5 milhão.

Outros bancos

Além da Caixa, a modalidade Pró-Cotista também é oferecida pelo Banco do Brasil e pelo Santander e deve ficar disponível no Bradesco até março.

No Branco do Brasil, a oferta do Pró-Cotista foi suspensa para imóveis usados devido à falta de recursos entre maio e outubro do ano passado, mas voltou à normalidade em novembro. A taxa mínima é de 9% ao ano, acima dos juros cobrados pelo banco público nas modalidades Carteira Hipotecária (8,85%) e SFH (8,49%).

Desde o final do ano passado, a linha Pró-Cotista do BB permite financiar imóveis de até R$ 1,5 milhão, acima do limite de R$ 950 mil permitido anteriormente para imóveis no Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo e Distrito Federal, e de R$ 800 mil nos demais estados. O prazo máximo é de 360 meses, e podem ser financiados imóveis novos e usados de até R$ 1,5 milhão.

Os bancos privados Santander e Bradesco estão dando os primeiros passos na modalidade Pró-Cotista. O Santander começou a operar esta linha em agosto para imóveis em obras financiadas pelo próprio banco. As taxas começam em 8,49% ao ano. Segundo o Santander, a linha deve ser ampliada ainda neste ano.

O Bradesco informou que pretende entrar neste segmento até março.

Conheça apartamento de 10 m², que custará R$ 99 mil

UOL Notícias

Mais Economia