IPCA
0.11 Ago.2019
Topo

Mídia e Marketing


Transformação digital faz área de marketing ganhar peso --e cara nova

Digitalização fez nascer novos cargos dentro dos departamentos de marketing das empresas - Arte/TAB
Digitalização fez nascer novos cargos dentro dos departamentos de marketing das empresas Imagem: Arte/TAB

Renato Pezzotti

Colaboração para o UOL, em São Paulo

09/09/2019 04h00

Um levantamento da empresa de recrutamento Talenses Group, em parceria com a Digital House, apontou que, nas empresas que estão passando por processos de transformação digital, os profissionais mais buscados são os que atuam em interfaces do marketing. Os mais buscados são, nesta ordem:

  1. Analista de dados
  2. Analista de marketing digital
  3. Cientista de dados
  4. Especialista em experiência do consumidor
  5. Designer de interfaces

O estudo "Paradigma Digital" ouviu 102 empresas, brasileiras e internacionais, durante o segundo trimestre.

"A intensa transformação digital é um dos principais fatores que levam as organizações a repensar o modo como conduzem seus negócios. Assim, buscam profissionais que possam promover o papel de agente transformador, auxiliando a evolução digital da empresa", disse Luiz Valente, CEO do Talenses Group.

A forma de fazer marketing mudou

Para Eduardo Campanella, vice-presidente de Marketing da Unilever, a forma de fazer publicidade mudou —e o resultado do levantamento mostra exatamente isso.

"É muito mais difícil fazer marketing hoje do que era no passado. Se a gente não começar a entender que existe uma forma diferente de se conectar com o consumidor, nos tornamos menos relevantes", disse.

"As equipes têm novas denominações e possuem novas habilidades. Quase não existe mais o 'departamento de marketing'. Hoje temos profissionais que cuidam dos negócios das marcas e outros que estão muito mais preocupados com a experiência do consumidor", afirmou o executivo.

Segundo Campanella, um dos exemplos passa pela média de idade de sua equipe na Unilever, que é de menos de 30 anos.

Mix de profissionais com diferentes habilidades

Para Eduardo Bicudo, líder da Accenture Interactive no Brasil, um dos desafios da transformação digital nas empresas é unir profissionais com habilidades diferentes.

"A Accenture, por exemplo, é formadora de talentos. Mesmo assim, tem contratado profissionais em diferentes áreas. Hoje, precisamos entender quais são os tipos de pessoas que podem nos levar para o resultado esperado. Vale mais até do que as especialidades de cada um", declarou Bicudo.

Experiência do usuário ganha destaque

Cargos que analisam a experiência do usuário/consumidor também são novidade entre as cadeiras do marketing.

"Se o cliente não tiver uma boa experiência, ele não volta mais. Por isso, é muito importante mapear toda essa jornada que o usuário e o consumidor tiveram durante todo processo, para saber se estão sendo eficientes —e, em caso negativo, traçar correções nas rotas", declarou Leandro Bittioli, gerente sênior de Recrutamento TI e Digital do Talenses Group.

Na 99, por exemplo, que já nasceu digital, uma equipe específica cuida da experiência do usuário. Liderada pelo publicitário Cleber Paradela, a área de "brand experience" da plataforma de mobilidade tem uma função específica: "cuidar da marca".

"Levamos, em todos os momentos, pessoas de um ponto a outro. A relação do digital tem impacto humano o tempo todo. Precisamos entender o usuário e saber analisar os dados, que são a força motriz da plataforma. As áreas que pedem interpretação analítica só tendem a crescer. São as profissões do futuro", disse Paradela.

Quer saber mais informações e dicas sobre economia e finanças pessoais de um jeito fácil de entender? Siga @uoleconomia no Instagram!

Geração Y quer inovação, mas também é conservadora

UOL Notícias

Mais Mídia e Marketing