IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Mídia e Marketing


Por Dia da Consciência Negra, Etna deixará de usar nome "criado-mudo"

Divulgação
Imagem: Divulgação

Renato Pezzotti

Colaboração para o UOL, em São Paulo

20/11/2019 11h04

Resumo da notícia

  • Rede de lojas vai abolir o nome de seu catálogo
  • Ação pretende promover uma reflexão sobre o racismo no país; nome do móvel vem da época da escravidão no Brasil
  • Móvel passará a ser chamado de "mesa de cabeceira" em todas as lojas físicas e no site da marca

A Etna, rede de lojas especializada em móveis e objetos de decoração, vai abolir o nome "criado-mudo" de seu catálogo. A ação estreia hoje (20), Dia da Consciência Negra, e pretende promover uma reflexão sobre a data.

Segundo a marca, a mudança acontece porque o nome do móvel vem da época da escravidão no Brasil. Ele lembra o escravo que passava a noite "tomando conta" dos nobres, ao lado da cama. Por ser um objeto inanimado e ter utilidade equivalente à de um mordomo, passou a ser chamado de criado-mudo.

O móvel, agora, passará a ser chamado de "mesa de cabeceira" em todas as lojas físicas e no site da marca. Confira o filme produzido para divulgar a ação:

A Etna ainda pretende fazer com que outras empresas do segmento também parem de usar o termo. Os fornecedores da varejista também serão convidados a excluírem a nomenclatura das embalagens, manuais e notas fiscais.

A ação foi criada pela agência TracyLocke Brasil.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Mídia e Marketing