PUBLICIDADE
IPCA
0,36 Jul.2020
Topo

Dólar sobe 0,82% e fecha a R$ 5,384; Bolsa avança 1,39%, na 2ª alta seguida

Do UOL, em São Paulo*

01/06/2020 17h07

O dólar comercial teve alta de 0,822% e fechou o dia de hoje (1º) cotado a R$ 5,384 na venda. O Ibovespa, principal índica da Bolsa de Valores, fechou em alta de 1,39%, a 88.620,10 pontos, na segunda valorização seguida.

Sexta-feira (29) a moeda norte-americana tinha desvalorizado 0,85%, negociada por R$ 5,340, e a Bolsa teve alta de 0,52%.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

Atuação do BC

Com o real liderando as perdas globais, o Banco Central anunciou à tarde o leilão de US$ 120 milhões no mercado à vista.

A alta chegou a perder força, mas retomou a intensidade depois de divulgado o resultado do leilão, por volta das 15h.

Tensões internas preocupam investidores

As imagens de embates entre manifestantes pró e contra o presidente Jair Bolsonaro durante o fim de semana em São Paulo, com a polícia intervindo com bombas de gás lacrimogêneo, evidenciaram tensões políticas ainda presentes no país, num momento em que a pandemia se agrava e indicadores econômicos apontam recessão histórica.

"Acho que essas imagens (dos protestos) rodando o mundo, todas as notícias sobre a crise de saúde aqui... geram insegurança no investidor estrangeiro, elevando a percepção de risco", disse Luciano Rostagno, estrategista-chefe do banco Mizuho do Brasil.

O Ibovespa fechou em alta sustentado por ganhos no setor bancário, mas com operadores ainda de olho na cena política local.

Fuga de investimentos estrangeiros

Mais cedo, analistas de mercado tornaram a piorar as expectativas para o desempenho da economia brasileira neste ano, que caminha para recessão histórica em 2020. As projeções prejudicam a atratividade do país como destino de investimentos e, portanto, pioram o cenário para entrada de capital.

Hoje, o presidente do BC (Banco Central), Roberto Campos Neto, afirmou que a saída de capital estrangeiro do Brasil durante a pandemia do coronavírus é superior à média observada em países emergentes. Ele reconheceu que o investimento estrangeiro é algo com que o país não poderá contar por enquanto.

Melhora na atividade econômica global

Os mercados financeiros começaram junho de forma geral em alta, com investidores mirando sinais de melhora na atividade econômica nas principais economias. Apesar do otimismo, há receio sobre as persistentes tensões comerciais entre China e Estados Unidos e sobre impactos econômicos dos protestos nos EUA.

De forma geral, agentes de mercado se apegavam ao fato de o governo norte-americano não ter adotado sanções ou tarifas sobre a China ao anunciar na sexta-feira sua resposta à nova lei de segurança nacional que a China quer sobre Hong Kong.

Ainda assim, Wall Street não tinha força para subir, com incertezas sobre violentos protestos espalhados pelos EUA e após notícia de que a China pediu a suas empresas estatais que suspendam compras de soja e carne suína dos EUA.

*Com Reuters

Este conteúdo foi gerado pelo sistema de produção automatizada de notícias do UOL e revisado pela redação antes de ser publicado.

Cotações