PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Sociólogo Sérgio Adorno fala hoje, às 16h, sobre violência na pandemia

Sérgio Adorno no "Conversas na Crise - Depois do Futuro" (17/06/20) - Arte/IdEA-Unicamp
Sérgio Adorno no "Conversas na Crise - Depois do Futuro" (17/06/20) Imagem: Arte/IdEA-Unicamp

Do UOL, em São Paulo

17/06/2020 04h00

Nesta quarta-feira (17), às 16h, o jornalista Paulo Markun entrevista ao vivo o sociólogo Sérgio Adorno em mais um "Conversas na Crise - Depois do Futuro", ciclo organizado pelo Instituto de Estudos Avançados (IdEA) da Unicamp em parceria com o UOL. Também participam desta edição o poeta e linguista Carlos Vogt, presidente do Conselho Científico e Cultural do IdEA, Adalton Marques, professor da Universidade Federal do Vale do São Francisco, e Tales Faria, colunista do UOL.

O programa será transmitido pela home do UOL e pelos canais do UOL no YouTube, Facebook e Twitter. Os internautas poderão interagir e fazer perguntas por meio dessas plataformas.

Professor da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP), Adorno analisará as consequências da pandemia do novo coronavírus sobre a temática da violência e dos direitos humanos no Brasil.

Graduado em ciências sociais pela USP (1974), Adorno tem doutorado em sociologia pela mesma instituição (1984) e pós-doutorado pelo Centre de Recherches Sociologiques sur le Droit et les Institutions Pénales, CESDIP, na França (1994-1995). Em 2004, tornou-se professor titular da FFLCH/USP, onde é coordenador científico do Núcleo de Estudos da Violência desde 1990. Seus principais focos de pesquisa estão relacionados à sociologia política, principalmente em violência, direitos humanos, criminalidade urbana, controle social e conflitos sociais.

"Conversas na Crise - Depois do Futuro" é um desdobramento do projeto "A Crise Brasileira", lançado na Unicamp em setembro de 2019 como iniciativa do IdEA. Com as restrições impostas pela quarentena, as discussões passaram para o ambiente virtual, tendo o UOL como parceiro e foco no debate do futuro pós-pandemia.