PUBLICIDADE
IPCA
-0,38 Mai.2020
Topo

Dólar emenda 3ª alta e fecha a R$ 5,465, maior valor em um mês; Bolsa cai

Do UOL, em São Paulo*

26/06/2020 17h12

O dólar comercial emendou hoje (26) a terceira alta consecutiva e fechou com valorização de 2,58%, cotado a R$ 5,465 na venda. É o maior valor desde 22 de maio (R$ 5,574). A moeda norte-americana fechou a semana com alta 2,76%. Esta é a terceira alta semanal consecutiva do dólar, que já recuperou força depois de cair abaixo de R$ 5 no início do mês. A moeda norte-americana acumula alta de 36,19% contra o real no ano de 2020.

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou em queda de 2,24%, a 93.834,49 pontos. O Ibovespa terminou a semana com queda de 2,83% e acumula perdas de 18,86% no ano.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

Risco de nova onda de contaminação

Esta foi uma semana turbulenta para ativos arriscados por causa de temores sobre uma segunda onda de covid-19. Se a doença voltar com força em locais que registravam cada dia menos casos, medidas de contenção economicamente prejudiciais podem ser retomadas, o que eleva a cautela de investidores.

"A avaliação da presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, de que provavelmente o pior da crise ficou para trás levou os negócios na Europa ao campo positivo. Contudo, no restante do mundo, predomina o sentimento de cautela com o avanço do número de casos, especialmente nos EUA", disseram analistas do Bradesco em nota.

Lagarde disse nesta sexta-feira que a zona do euro "provavelmente superou" o pior da crise econômica causada pela pandemia de coronavírus, mas a recuperação será irregular.

Roberto Motta, responsável pela mesa de futuros da Genial Investimentos, destacou em live desta sexta-feira a volatilidade do real nas últimas sessões, que tem superado a de moedas de economias emergentes. Ele disse que é uma questão que deve ser abordada pelo Banco Central.

Nos EUA, foram registrados pelo menos 39,8 mil novos casos do novo coronavírus na quinta-feira, o maior aumento diário da pandemia, reforçando preocupações de uma nova onda de infecções em meio à reabertura das atividades econômicas.

Em outra frente, o Federal Reserve (BC norte-americano) decidiu limitar pagamentos de dividendos por bancos, após teste de estresse mostrar que eles enfrentavam expressivas perdas de capital com o tombo da economia por causa da pandemia.

Intervenção do Banco Central

O BC vendeu US$ 502,5 milhões à vista nesta sessão, além de realizar colocação de US$ 1,5 bilhão para rolagem de linhas de dólares com compromisso de recompra e de 12 mil contratos de swap cambial tradicional —também para rolagem.

*Com Reuters

Este conteúdo foi gerado pelo sistema de produção automatizada de notícias do UOL e revisado pela redação antes de ser publicado.

Cotações