PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Nova nuvem de gafanhotos se movimenta em direção à Argentina

Nuvem de gafanhotos que está no Paraguai se moveu em direção à Argentina - Reprodução/Twitter
Nuvem de gafanhotos que está no Paraguai se moveu em direção à Argentina Imagem: Reprodução/Twitter

Hygino Vasconcellos

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre

17/07/2020 18h53

A nova nuvem de gafanhotos surgida no Paraguai se movimentou hoje em direção ao norte da Argentina. De acordo com o Senave (Serviço Nacional de Qualidade e Sanidade Vegetal e de Sementes do Paraguai), o aglomerado de insetos está em "constante movimento" e se dirigiu para o sudeste paraguaio. Os gafanhotos seguem próximo do Parque Nacional Defensores del Chaco, em Zona Teniente Pico, no departamento de Boquerón.

"A equipe de técnicos do Senave, que permanece na região, indicou que os gafanhotos se encontram em constante movimento, mas estamos realizando o monitoramento permanente para localizá-los e podermos aplicar os controles fitossanitários adequados", observou o órgão em nota divulgada nas redes sociais.

O Senave também pediu ajuda dos produtores rurais para informarem a localização dos insetos e afirmou que "o controle da praga é responsabilidade de todos".

A preocupação é com a chegada dessa nuvem de insetos ao Brasil, já que os gafanhotos são vorazes e destroem plantações em segundos, o que pode trazer prejuízos para o agronegócio brasileiro. Um vídeo, feitos por técnicos do Senave no Paraguai, mostra inúmeros insetos voando enquanto um carro está passando.

Apesar disso, as autoridades estão mais preocupadas com outro aglomerado de gafanhotos, que está na região de Corrientes - a 130 quilômetros de distância do Rio Grande do Sul. Essa nuvem estava parada devido à chuva e queda nas temperaturas, mas começou a se movimentar no último sábado (11) e avançou 14 quilômetros em direção ao RS.

Com o aumento das temperaturas previsto para o final de semana, há a possibilidade dos insetos chegarem ao estado, o que poderia provocar danos incalculáveis. Conforme o chefe da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal da Secretaria da Agricultura do RS, Ricardo Felicetti, equipes serão mantidas de prontidão na fronteira do Rio Grande do Sul com a Argentina para monitorar o avanço do aglomerado.

"Há uma rede de vigilância com fiscais agropecuários e entidades associativas que estão acompanhando a situação."

Segundo Felicetti, as temperaturas se elevam a partir de amanhã e devem permanecer altas até a próxima quarta-feira (22), quando está prevista a chegada de uma frente fria.