PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Wesley e Joesley Batista são multados por uso particular de avião da JBS

Wesley Batista (esq.) e Joesley Batista (dir.), foram multados hoje por uso particular de aeronave da JBS - Zanone Fraissat /Monica Bergamo
Wesley Batista (esq.) e Joesley Batista (dir.), foram multados hoje por uso particular de aeronave da JBS Imagem: Zanone Fraissat /Monica Bergamo

Do UOL, em São Paulo

21/07/2020 18h05Atualizada em 21/07/2020 18h44

A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) julgou e multou hoje os irmãos Wesley e Joesley Batista por uso de aeronave da JBS para fins particulares. No processo, Wesley, ex-diretor presidente da companhia, foi multado por dar permissão e Joesley por utilizar o avião.

Os valores da multa são de R$ 400 mil para Joesley e de R$ 700 mil para Wesley.

Segundo a decisão, Wesley Mendonça Batista, desrespeitou o "dever de diligência", não adotando "procedimentos e cautela exigíveis na gestão de companhia aberta ao tomar decisões relativas à implementação de controles e à autorização para o uso de aeronaves da Companhia no período de junho de 2012 a 5/8/2016".

Além disso, ele teria praticado "liberalidade à custa da Companhia", autorizando a utilização de aeronave da JBS pelo Sr. Joesley Batista, então Presidente do Conselho de Administração da empresa, em 11 de maio de 2017, para fins particulares.

Naquele mês, Joesley e sua família teriam utilizado uma aeronave da JBS para um voo de Campinas a Nova Jersey, mesmo que esses bens da empresa não fizessem parte de sua remuneração indireta nem fossem consideradas um benefício de seu cargo.

No caso, a Acusação afirma que os voos poderiam ter sido contratados e pagos por eles à parte. Por isso, usar um avião da companhia não poderia ter sido considerada como única opção para garantir a segurança pessoal do administrador e de sua família.

Outra alternativa apresentada seria o ressarcimento, por parte do acusado, dos custos relacionados à viagem - o que, segundo a JBS, não aconteceu.