PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Dona da JBS assume culpa nos EUA, pagará US$ 128 mi, e ações disparam 9%

Do UOL, em São Paulo

14/10/2020 19h37

A J&F, dona da JBS, se declarou culpada de violar legislação dos EUA contra corrupção e fechou acordo com o Departamento de Justiça americano para pagar cerca de US$ 128 milhões às autoridades do país.

Após a divulgação do acordo nesta quarta-feira (14), as ações da JBS na Bolsa de Valores brasileira dispararam e fecharam o dia com alta de 9,2%, a R$ 21,48.

A JBS, maior processadora de carne do mundo, diz que o valor total da multa acordado é de cerca de US$ 256,5 milhões, mas 50% desse valor já foi quitado com as autoridades brasileiras e foi abatido do total a ser pago nos EUA.

Acordo tem relação com revelações da Lava Jato

A J&F se declarou culpada "por violar a Lei de Práticas de Corrupção no Exterior (FCPA) dos Estados Unidos", de acordo com a nota.

Segundo promotores dos EUA, o montante de propinas pagas por executivos da J&F para autoridades governamentais de alto escalão superou os US$ 150 milhões. Os promotores afirmaram ainda que a empresa teve um lucro de US$ 178 milhões com o pagamento dos subornos.

Em nota ao mercado, a JBS disse que o acerto nos EUA é relativo aos mesmos fatos e condutas que levaram ao acordo de leniência firmado com o Ministério Público Federal no Brasil e da colaboração premiada. Esses acordos aqui foram assinados pelos executivos Wesley e Joesley Batista com a Procuradoria-Geral da República, decorrentes de diversas investigações, incluindo a da operação Lava Jato.

Joesley Day

O dia 17 de maio de 2017 ficou conhecido no mercado como Joesley Day. Na data, o jornal "O Globo" divulgou uma gravação feita pelo empresário Joesley Batista como parte de sua delação. A gravação apontava sinais de associação do então presidente Michel Temer com atos de corrupção. No dia seguinte a Bolsa despencou e o dólar subiu.

A pressão para que Temer deixasse o cargo aumentou. Ele foi denunciado três vezes pela Procuradoria-Geral da República enquanto estava no cargo —o primeiro presidente da história a passar por isso.

Ele se manteve no posto até o final do mandato, mas sua agenda de projetos ficou travada, incluindo a reforma da Previdência, diante da necessidade de se defender do processo no Congresso.

Outro acordo prevê multa de US$ 27 milhões

A JBS diz que não fez parte desse acordo nos EUA e não irá arcar com os valores, que serão de responsabilidade da J&F.

A JBS tambmém afirmou nesta quarta que assinou outro acordo, com a autoridade fiscalizadora do mercado de capitais norte-americano, a SEC (equivalente à CVM no Brasil), que prevê pagamento de multa de cerca de US$ 27 milhões.

Esse acordo é relacionado a falhas da Pilgrim's Pride, controlada pela JBS, no registro de suas informações contábeis.

A Pilgrim's Pride já havia informado mais cedo que aceitou pagar multa de US$ 110,5 milhões por ter criado restrições à competição, o que afetou três contratos de venda de produtos de frango de corte a um cliente nos EUA.

A JBS disse ainda que, como parte do acordo com a SEC, deverá prestar esclarecimentos por três anos sobre "a efetividade das políticas anticorrupção, procedimentos, práticas, controles internos e manutenção de registros e processos de reportes financeiros da JBS" e de quaisquer empresas que estejam sob controle do grupo.

Segundo a JBS, o acordo com a SEC encerra qualquer outra pendência legal da companhia e suas afiliadas relacionadas à contabilidade da Pilgrim's.

*Com Reuters