PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Está trabalhando em home office? Como fazer seguro do notebook corporativo?

Claudia Varella

Colaboração para o UOL, em São Paulo

27/10/2020 04h00

O profissional autônomo que, durante a pandemia, passou a trabalhar em home office precisa contratar seguros para proteger os seus equipamentos de alto valor, como notebook, computador desktop e celular?

Magda Truvilhano, vice-presidente da Comissão de Riscos Patrimoniais Massificados da FenSeg (Federação Nacional de Seguros Gerais), diz que o home office pode ter incentivado os autônomos a fazer o seguro residencial.

Muitos profissionais, entre eles os microempresários, deixaram os seus escritórios e passaram a trabalhar em casa. Algumas seguradoras dão opção de contratação de coberturas ou de modalidades de seguro que visam garantir justamente esses equipamentos, que, embora sejam usados em casa, são de uso profissional.
Magda Truvilhano, vice-presidente da Comissão de Riscos Patrimoniais Massificados da FenSeg

E se ele for funcionário de uma empresa e esses equipamentos forem corporativos?

Segundo Magda, seguros residenciais não cobrem bens de terceiros. "Imagina a situação: você tem um seguro residencial e está trabalhando com um notebook da empresa. Este equipamento não estará segurado dentro do seu seguro residencial, porque ele não pertence a você. O equipamento só estará coberto no seguro empresarial se a empresa tiver contratado essas coberturas adicionais de home office", afirmou.

Ela diz que o mercado vem oferecendo cobertura de home office extensiva aos equipamentos em uso na casa dos colaboradores.

"Muitas empresas colocaram os seus funcionários para trabalhar em casa, e esses profissionais levaram seus equipamentos de trabalho para as residências e estão atuando em outro ambiente, fora da empresa. Assim, esses equipamentos estão amparados desde que as empresas tenham incluído essas coberturas adicionais de home office dentro no seguro empresarial", afirmou.

Em todos os casos, diz Magda, é importante o segurado observar atentamente quais são as coberturas que estão amparadas e os valores para cada uma, de acordo com o equipamento que foi incluído.

Seguro de responsabilidade civil

Caso a empresa não tenha feito esse seguro específico para os equipamentos corporativos, o funcionário em home office tem a opção de contratar um seguro de responsabilidade civil, para se resguardar de possíveis danos.

"Um seguro de responsabilidade civil geral pode atender às necessidades de um trabalhador que esteja em teletrabalho, valendo-se de equipamentos da empresa que não possuam seguro. Na hipótese de o colaborador provocar danos nesses equipamentos, de forma involuntária, ou sofrer roubo ou furto, caso seja obrigado a ressarci-los, estaria coberto pelo seguro de responsabilidade civil geral", informou a Susep (Superintendência de Seguros Privados).

Há também uma crescente atenção das empresas com relação aos riscos de invasão das redes de dados e documentos sigilosos, havendo nesses casos coberturas nos seguros cibernéticos.

De acordo com a Susep, a cobertura de responsabilidade civil para riscos cibernéticos também pode ser contratada pela empregadora, para se proteger de danos causados a terceiros por conta de ataques sofridos pelo empregado em trabalho remoto.

Serviços emergenciais 24 horas

Outra cobertura agregada às apólices de seguro residencial são os serviços emergenciais 24 horas. O segurado tem uma gama de prestadores de serviços para atendê-lo nas emergências e conhecendo a procedência desses profissionais.

Isso é o grande gancho de ganho de qualquer seguro residencial. Serviços emergenciais são bastante demandados. Em situação de emergência, as pessoas geralmente não sabem a quem recorrer. Há a preocupação de buscar mão de obra especializada, profissionais de confiança e com aval da companhia de seguro. É uma tranquilidade muito grande para quem contrata seguro.
Bruno Kelly, professor da Escola de Negócios e Seguros (ENS)

O custo de um seguro residencial depende de vários fatores, como tipo e localização do imóvel, mas o valor em média é menor que R$ 500 por ano.

"O custo do seguro por ano é baixo, comparado a qualquer servicinho que você precise contratar por fora, como um simples chaveiro, eletricista ou até um bombeiro hidráulico. Você certamente vai gastar muito mais. O custo-benefício dessa assistência é bem interessante não só pelo ganho financeiro, mas também pela tranquilidade que vem a reboque", afirmou Bruno Kelly.

Para Olívio Luccas Filho, professor titular da Fecap, incluir serviços de help desk (suporte para informática, telefonia) entre as coberturas emergenciais do seu seguro residencial pode ser importante no home office.

Quem está trabalhando em casa precisa ter o computador funcionando o dia todo. Serviços como help desk são importantes nesse momento de pandemia.
Olívio Luccas Filho, professor titular da Fecap