PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Com inflação em alta, classes D e E terão 18% menos dinheiro para compras

Compras: renda disponível das classes D e E vai encolher - Alexi Rosenfeld/Getty Images
Compras: renda disponível das classes D e E vai encolher Imagem: Alexi Rosenfeld/Getty Images

Colaboração para o UOL

05/07/2021 16h29

As classes D e E vão ser as mais impactadas neste ano com a alta dos preços dos produtos essenciais, como alimentação, transporte e habitação. Segundo pesquisa da consultoria Tendências, haverá uma retração de 17,7% na renda disponível ao consumo para essas pessoas em 2021 em comparação ao ano passado. A classe C também vai ser impactada, com redução de 4,7%.

Por outro lado, a classe A vai registrar um aumento de 3% no valor disponível para consumo. Já a classe B terá elevação de 0,5%. O Boletim Focus, do Banco Central, projeta uma inflação de 6,07% para 2021, acima da meta.

No Brasil, 54,7% das famílias são consideradas das classes D e E, com renda mensal de até R$ 2,7 mil. Já na classe C estão 28,8% e na classe B outras 13,1% famílias. Já na classe A estão 3,4% das famílias, com renda superior a R$ 20,4 mil.

O cálculo da renda disponível para consumo é feito a partir do que sobra do orçamento após os gastos com itens essenciais. No caso das classes D e E, essas despesas corresponderam a 77,6% do orçamento em 2020 e sobra 22,4%, enquanto na classe C equivale a 70,1% e a sobra, a 29,9%. Já na classe A, os itens essenciais corresponderam a 48% do orçamento no ano passado - ou seja, a renda para consumo equivale a 52% do total.

"Quando há uma queda ou aumento na renda dos mais pobres, o impacto negativo ou positivo no consumo é direto, por alterar automaticamente sua restrição orçamentária. Não por acaso, em 2020 o auxílio emergencial impulsionou as vendas no varejo em regiões mais assistidas pelas medidas de proteção social, como o Norte", segundo trecho do estudo.

Os pesquisadores acreditam que, nas classes D e E, a renda disponível, ainda que menor, será utilizada para aquisição de bens duráveis, como automóveis, máquinas de lavar e celulares - e semiduráveis, como roupas e calçados.