PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Vitamina para abelhas carentes e fracas melhora produção de mel

Abelha: entre as safras de flores, abelhas podem ficar mais fracas - MAPA
Abelha: entre as safras de flores, abelhas podem ficar mais fracas Imagem: MAPA

Viviane Taguchi

Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/08/2021 15h42

Se, para ganhar músculos na academia, os humanos lançam mão de suplementos alimentares e tudo que promete auxiliar no ganho de massa, a moda agora vai pegar na colmeia. Uma empresa gaúcha lançou, na sexta-feira (30/7), um suplemento alimentar para abelhas carentes de nutrientes, principalmente durante o período da entressafra de flores. A Védera Nutrição Animal desenvolveu o Melero, um pó que deve ser adicionado na colmeia e promete ajudar na saúde e na disposição dos insetos em tempos difíceis.

Segundo a empresa, na época entre as floradas, as abelhas elas sofrem com a falta de nutrientes do néctar das flores, mesmo que elas consumam o próprio mel. Essa carência prejudica a produção de mel.

Conforme afirmou o diretor executivo da Védera, Cesar Souza, o Melero foi criado a partir da demanda de apicultores, que sentem a redução significativa da produção de mel na entressafra de flores. "A principal consequência disto é a redução do metabolismo das abelhas. Com menos nutrientes, elas ficam fracas, precisando de produtos que recomponham essas necessidades", afirmou Souza.

 A Védera Nutrição Animal desenvolveu o Melero, suplemento para abelhas - Diulgação - Diulgação
A Védera Nutrição Animal desenvolveu o Melero, suplemento para abelhas
Imagem: Diulgação

O diretor da empresa explicou que o produto foi elaborado a partir de insumos orgânicos e possui fontes de energia como carboidratos, enzimas, aminoácidos, minerais e vitaminas essenciais para as abelhas. Cada colmeia precisa, em média, de 150 a 250 gramas em períodos de 45 dias.

"A apicultura exige manejo diferenciado entre o período produtivo e a entressafra", disse a pesquisadora da Embrapa Meio Norte, Fábia de Mello Pereira. "Se, na época da produção de mel e pólen, o apicultor precisa cuidar para as suas abelhas não coletarem alimentos industriais como o açúcar, rapadura e refrigerantes, durante a entressafra falta alimento no campo e o fornecimento de alimentação é necessário para a colônia."

Produção de mel no Brasil

De acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação (FAO), existem no Brasil 101 mil apicultores, com 2,1 milhões de colmeias, uma média de 21,1 mil colmeias por apicultor, números que colocam o país na lista dos maiores produtores do mundo, com 46 mil toneladas produzidas no ano passado. Por aqui, o clima e a flora são favoráveis ao desenvolvimento da abelha africanizada e as reservas florais e floradas silvestres asseguram mel de qualidade para atender os padrões do mercado internacional.

Relatório do Departamento de Economia Rural (Deral), órgão da Secretaria de Agricultura do Paraná, divulgado na última quinta-feira (29/7) apontou que, no primeiro semestre deste ano, foram exportadas 31,5 mil toneladas de mel in natura, volume 55% acima que o do mesmo período de 2020. A receita com as vendas externas somaram US$ 107,6 milhões

O Piauí liderou as exportações entre janeiro e junho, com receita de US$ 34 milhões e embarques de 9,5 mil toneladas. Santa Catarina (US$ 25,4 milhões e 7,5 mil toneladas) e Paraná (US$ 21,6 milhões e 6,6 mil toneladas) ficaram em segundo e terceiro lugares no ranking de vendas externas, respectivamente. O principal destino do mel brasileiro são os Estados Unidos, que importa 78% do mel produzido no Brasil.

PUBLICIDADE