PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Guedes vai à Câmara nesta terça-feira para explicar dinheiro no exterior

O ministro da Economia, Paulo Guedes, falará aos deputados sobre dinheiro no exterior - Washington Costa/ME
O ministro da Economia, Paulo Guedes, falará aos deputados sobre dinheiro no exterior Imagem: Washington Costa/ME

Fabrício de Castro

Do UOL, em Brasília

22/11/2021 21h45

O ministro da Economia, Paulo Guedes, participa de audiência pública conjunta de duas comissões da Câmara nesta terça-feira (23), para dar explicações sobre o dinheiro que mantém em offshore (empresa no exterior, em paraíso fiscal). O comparecimento está confirmado em agenda oficial do ministério. Ele atenderá a novo pedido de convocação parlamentar, após já ter pedido cancelamento da reunião anterior.

Guedes falará a partir das 10h em audiência pública conjunta das comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público e de Fiscalização Aduaneira e de Controle.

No início do mês, o ministro já havia enviado uma documentação sigilosa para as comissões com explicações sobre os recursos em paraísos fiscais. Ao mesmo tempo, Guedes faltou a uma convocação marcada para o dia 10 de novembro, quarta-feira, alegando "conflito de agenda".

Nos bastidores, o governo tentou articular para que o assunto fosse esquecido pelos parlamentares, mas o ministro acabou sendo convocado novamente. O deputado Paulo Ramos (PDT-RJ) chegou a dizer que Guedes poderia responder por crime de responsabilidade se faltasse mais uma vez à audiência.

Recursos nas Ilhas Virgens Britânicas

Guedes terá que se explicar sobre a existência de recursos em offshore sediada nas Ilhas Virgens Britânicas, um conhecido paraíso fiscal.

O termo offshore significa "fora da costa marítima", no sentido de longe do continente. É normalmente usado para designar empresas fora do país de origem da pessoa, em geral com sede em paraísos fiscais. Para a Receita Federal, são considerados paraísos fiscais os países que tributam a renda em menos de 20% e cuja legislação permite manter em sigilo a composição societária das empresas.

A existência de uma offshore não configura necessariamente um crime. No entanto, parlamentares têm alegado que pode existir um conflito de interesses na manutenção dessas operações enquanto Guedes ocupa o cargo responsável por gerir as políticas econômica e cambial do país.

A existência da offshore ligada a Guedes foi revelada pelo projeto "Pandora Papers", do ICIJ (Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos). No Brasil, os parceiros do consórcio são a revisa Piauí e o site Poder 360. Conforme os "Pandora Papers", Guedes possui desde 2014 uma offshore de nome Dreadnoughts International.

O ministro da Economia depositou US$ 9,54 milhões (mais de R$ 53,4 milhões, na cotação atual) na conta da offshore, em uma agência do banco Crédit Suisse em Nova York. Além de Guedes, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, manteve recursos investidos por meio de offshores.

PUBLICIDADE