PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Pelé, Latino e mais: 6 famosos que tiveram dívidas de condomínio

Ronaldo Giovanelli, comentarista do Jogo Aberto - Reprodução/TV Band
Ronaldo Giovanelli, comentarista do Jogo Aberto Imagem: Reprodução/TV Band

Gabriel Dias

Colaboração para o UOL

02/04/2022 04h00

O ex-goleiro do Corinthians e atual comentarista da Bandeirantes, Ronaldo Giovanelli, teve recentemente seu imóvel leiloado por causa de dívidas no valor de R$ 169 mil. Segundo o condomínio, ele deixou de pagar parcelas durante dez anos, entre novembro de 2011 e março de 2019.

O apartamento duplex localizado no edifício Onix no Tatuapé, em São Paulo, foi entregue ao novo proprietário, que o arrematou por R$ 613 mil.

Ronaldo ainda recorreu na justiça alegando que parte da dívida já estava prescrita, além de dizer que não recebeu os boletos ao longo dos meses, mas a Justiça não aceitou o recurso.

Veja os famosos que já enfrentaram ações pelo mesmo motivo:

Bebeto

Bebeto no "Bem, Amigos" - Reprodução/SporTV - Reprodução/SporTV
Estrela da Copa de 94, Bebeto responde a quatro processos na Justiça pela falta de pagamento de condomínio
Imagem: Reprodução/SporTV

O tetracampeão mundial e atual deputado estadual José Roberto Gama de Oliveira, mais conhecido como Bebeto, responde a quatro processos na Justiça pela falta de pagamento de condomínio de apartamentos na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, e de impostos de imóveis em Mangaratiba, na Costa Verde do estado.

Outras duas ações foram encerradas depois que o ex-atleta pagou a dívida sobre dez meses de condomínio atrasados ao edifício Marina Barrabela, também na Barra da Tijuca. O jogador também quitou uma outra dívida, no Santa Mônica Condominium Club, no valor de R$ 78.781,22 referentes aos condomínios de junho de 2015 a agosto de 2018.

Mas apesar disso, Bebeto e sua mulher, Denise de Andrade Gama de Oliveira, são réus em outra ação por dívidas do mesmo apartamento, mas no período de novembro de 2019 a setembro de 2020 no valor que chega a R$ 19.585,61.

O segundo processo em andamento contra o jogador na cidade do Rio é movido pelo Condomínio do Edifício Santa Mônica Special, na Barra da Tijuca, que cobra o valor de R$ 260 mil pela falta de pagamento de condomínio de dois imóveis no prédio desde maio de 2019.

Outras duas ações são movidas pela Prefeitura de Mangaratiba contra Bebeto por falta de pagamento. Ambas cobram valores de tributos, uma de 2017 e outra de 2020.

Pelé

Pelé durante entrevista coletiva nesta terça. O Rei do futebol recebeu alta nesta terça  - Jorge Araujo/Folhapress - Jorge Araujo/Folhapress
O Rei Pelé tem R$ 150 mil de dívidas em impostos e de taxa de condomínio
Imagem: Jorge Araujo/Folhapress

O ex-jogador de futebol Edson Arantes do Nascimento, o Rei Pelé, tem diversas cobranças na Justiça feitas por três prefeituras e um edifício em Santos. As dívidas são de impostos e de taxa de condomínio e ultrapassam os R$ 150 mil, de acordo com informações da Veja São Paulo.

Além disso, o ex-jogador teria uma dívida de R$ 26 mil com a Prefeitura de São Paulo referentes ao IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) de um apartamento e à vaga na garagem de um prédio na alameda Jaú, nos Jardins.

Uma das dívidas seria no valor de R$ 9.000, referente a cotas condominiais de fevereiro a abril, de dois imóveis no edifício Dondinho. Segundo os advogados do jogador, a maioria das dívidas já constam pedido de parcelamento.

Latino

Latino - Instagram - Instagram
Latino deve mais de R$ 300 mil
Imagem: Instagram

Desde 2016, a associação que administra o condomínio Quintas do Rio, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, move ação contra o cantor Latino pelo não pagamento das cotas condominiais, que acumulou uma dívida superior a R$ 300 mil.

Em novembro de 2021, o colunista Ancelmo Gois, do jornal O Globo, divulgou que o juiz Marcelo Nobre de Almeida, da 7ª Vara Cível do Rio, havia estabelecido um prazo de 15 dias para que os débitos fossem pagos pelo cantor. Em caso de descumprimento seria acrescida multa em cima do valor.

No final de 2019, Latino havia fechado um acordo com o condomínio para o pagamento de R$ 304 mil, mas o artista não cumpriu com o combinado, segundo a administração do prédio. Por esse motivo, os valores foram atualizados.

Cláudia Leitte

Claudia Leitte durante participação no "Altas Horas" neste sábado - Reprodução/TV - Reprodução/TV
Cláudia Leitte foi acionada pela Justiça por causa uma dívida no valor de R$ 33.695,56
Imagem: Reprodução/TV

A cantora Cláudia Leitte foi processada pelo síndico de um edifício comercial no bairro de Caminhos das Árvores, em Salvador, na Bahia.

Segundo a colunista Fábia Oliveira, do jornal O Dia, a cantora foi acionada pela Justiça por causa uma dívida no valor de R$ 33.695,56 com o edifício Tancredo Neves Trade Center.

A cantora seria a responsável por quatro salas comerciais no edifício. Cláudia Leitte não teria pago as taxas de janeiro de 2020 a fevereiro de 2021.

No dia 23 de julho de 2021, as partes entraram em um acordo para o pagamento parcelado da dívida com uma entrada de R$ 5.000 e o restante divido em 16 prestações. Com isso, a dívida ficou em R$ 53 mil, incluindo honorários advocatícios.

Sérgio Mallandro

Sérgio Mallandro em propaganda para conscientizar sobre o consumo de energia  - Divulgação/MME - Divulgação/MME
Sérgio Mallandro responde a três cobranças por parte de condomínios onde possui imóveis
Imagem: Divulgação/MME

O humorista Sérgio Mallandro responde a três cobranças por parte de condomínios onde possui imóveis. A informação foi divulgada em agosto de 2021 pelo colunista Ancelmo Gois, do jornal O Globo.

Duas ações são de um condomínio em Jacarepaguá, onde o humorista tem duas propriedades. Ele possuía débitos referentes a cotas condominiais em um total de R$ 17.579,11, somados os dois imóveis.

A terceira ação seria referente à dívida com o condomínio Ilha do Jorge, em Angra dos Reis, onde o artista teria débitos referentes às cotas dos meses de maio de 2016 a maio de 2021, totalizando R$ 141,700,31. Nessa ação, Sérgio Mallandro negociou o pagamento da dívida diretamente com a administradora após a Justiça ameaçar penhorar o imóvel.