PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

PVC rasga dinheiro: o que fazer com nota danificada? Ela deixa de valer?

Paulo Vinícius Coelho, o PVC, rasgou uma nota de R$ 20 ao vivo no SporTV - Reprodução/Twitter
Paulo Vinícius Coelho, o PVC, rasgou uma nota de R$ 20 ao vivo no SporTV Imagem: Reprodução/Twitter

Vinícius de Oliveira

Colaboração para UOL, em São Paulo

23/06/2022 16h24Atualizada em 23/06/2022 17h54

O comentarista esportivo Paulo Vinícius Coelho, mais conhecido como PVC, protagonizou uma cena inusitada no programa "Troca de Passes", exibido na madrugada desta quinta-feira (23) no SporTV.

Ao criticar os gastos da diretoria do Flamengo com as rescisões dos treinadores, o jornalista rasgou uma nota de R$ 20 e surpreendeu a apresentadora Camila Carelli. A ação repercutiu rapidamente nas redes sociais e rendeu críticas a PVC.

Antes mesmo de o programa acabar, o comentarista se arrependeu da atitude e disse que iria reparar a cédula. "Eu vou colar depois! Vou recuperar minha cédula e vou fazer uma doação de R$ 200 em quentinhas para compensar o ato falho que cometi. Peço desculpas", disse.

Nota rasgada ainda vale?

No entanto, PVC talvez possa se surpreender ao tentar trocar a nota rasgada. De acordo com o Banco Central, cédulas fragmentadas devem ser retiradas de circulação e podem perder seu valor de troca, dependendo do grau do dano apresentado.

Cédulas que se encontram com algum dano devem possuir mais da metade do seu tamanho original em um único fragmento. Elas têm valor somente para depósito, pagamento ou troca na rede bancária"
Banco Central

Sendo assim, os bancos devem receber as cédulas do público e trocá-las por seu valor integral ou aceitá-las em pagamento ou depósitos.

Depois de recolhidas, as cédulas rasgadas são encaminhadas para o Banco Central e são destruídas.

No caso de PVC, a cédula provavelmente será trocada em qualquer banco ou instituição financeira, já que ele rasgou a cédula praticamente ao meio. Se tivesse picotado o dinheiro em pedaços menores, ele teria perdido o valor.

Outras situações de troca

De acordo com o Banco Central, existem outras situações em que é possível fazer a troca das cédulas. São elas:

  • Cédulas gastas ou desfiguradas;
  • Cédulas manchadas ou sujas;
  • Cédulas com marcas, rabiscos, símbolos, desenhos ou quaisquer caracteres estranhos a elas;
  • Cédulas com cortes ou rasgos nas bordas ou na parte interior;
  • Cédulas queimadas ou danificadas por ação de líquidos, agentes químicos ou explosivos.

Apenas as cédulas desgastadas pelo uso excessivo podem ser utilizadas normalmente pelo público. Em todas as outras situações, é preciso ir até uma rede bancária e trocar a nota por uma nova ou utilizá-la para pagamento ou depósito.

Quando as cédulas perdem o valor?

Se as cédulas estiverem muito danificadas, elas podem perder o valor. O Banco Central categoriza essas notas como "mutiladas", pois elas não apresentam fragmento com mais da metade do tamanho original.

Esses são os únicos casos em que as notas perdem o valor de circulação e os bancos não são obrigados a fazer a troca. Já as cédulas com muitos fragmentos podem ser enviadas para o Banco Central, que fará uma análise quanto à sua valoração.