PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Mídia e Marketing

Coluna UOL Mais Plural estreia com temas de diversidade no jornalismo

Logo do Comitê UOL Plural - UOL
Logo do Comitê UOL Plural Imagem: UOL

Do UOL, em São Paulo

03/08/2022 04h00

O UOL estreia hoje a coluna UOL mais Plural. Publicados semanalmente, os textos deste espaço discutirão iniciativas práticas de como a redação do UOL tem transformado sua rotina de produção para retratar de forma mais fidedigna e empática toda a diversidade presente na população brasileira.

A coluna será conduzida pelo Comitê UOL Plural, um colegiado de profissionais de conteúdo do UOL (jornalistas, produtores de vídeo, designers e desenvolvedores) criado há dois anos para ajudar a redação a acompanhar os avanços dos debates públicos sobre como tornar ambientes corporativos mais diversos.

Nascido em 2020, o Comitê UOL Plural se reuniu pela primeira vez em 15 de julho daquele ano, virtualmente devido à pandemia de covid-19. De lá para cá, 40 pessoas já integraram o grupo, que debate, propõe e apresenta ações para que não só os textos, mas também o espaço da redação seja mais plural. O comitê é coordenado pelo Núcleo de Diversidade do UOL, que articula junto às demais editorias do UOL ações práticas para a produção se aproximar cada vez mais do múltiplo público brasileiro.

Com a coluna UOL mais Plural, estes profissionais passam a dividir com os leitores alguns dos esforços desenvolvidos nestes dois anos, os obstáculos superados ao longo do caminho e os aprendizados encontrados nele. O Comitê UOL Plural convida ainda que leitores compartilhem experiências e dúvidas sobre as recentes discussões a respeito da construção de uma sociedade mais diversa.

No UOL mais Plural, os leitores encontrarão reflexões sobre como as produções do UOL se moldaram para ser mais sensíveis a questões de gênero, raciais, indígenas, regionais, pertinentes à comunidade LGBTQIA+, relativas a pessoas com deficiência, entre outras.

UOL mais Plural trará dicas de expressões pejorativas para mudar no vocabulário; como ouvir vozes tradicionalmente excluídas da esfera pública pode ampliar as visões de mundo abarcadas em textos jornalísticos; erros que a redação cometeu e corrigiu; e os acertos — afinal, quando se está mudando para melhor, é bom celebrar todos os passos nesse caminho.

Na coluna, o comitê também relatará os debates travados por personalidades brasileiras em conversas com a redação sobre assuntos caros a um olhar mais amplo e menos excludente do Brasil.

Chamado internamente de Visões Plurais, estes encontros já receberam nestes dois anos expoentes como o jornalista e colunista da "Folha de S.Paulo" Jairo Marques, que falou sobre pessoas com deficiência; a jornalista e escritora ("Quando me descobri negra" e "Continuo Preta") Bianca Santana, que discutiu como a imprensa retrata a população negra; a socióloga e professora adjunta da UFF (Universidade Federal Fluminense) Flávia Rios, que discutiu o papel da mídia na formação da memória dos leitores; a consultoria da Transcendemos Gabriela Augusto, que retratar pessoas trans para além do estereótipo; e a doutora em teoria literária e escritora ("Eu sou macuxi e outras histórias) Julie Dorrico, que contou como o Brasil encarou a questão indígena ao longo da história.

Mídia e Marketing