Bolsa Família de agosto terá valor maior? Veja informações e datas

O Bolsa Família já está com o calendário de pagamento de agosto definido. De acordo com o governo, as transferências começarão na segunda quinzena do próximo mês, com a primeira parcela prevista para ser paga em 18 de agosto, seguindo até o dia 31.

Os valores são pagos de acordo com o final do número NIS (Número de Identificação Social) de cada beneficiário, buscando uma distribuição organizada e eficiente dos recursos.

Confira abaixo as datas de pagamento do Bolsa Família em agosto:

  • NIS final 1: 18 de agosto;

  • NIS final 2: 21 de agosto;

  • NIS final 3: 22 de agosto;

  • NIS final 4: 23 de agosto;

  • NIS final 5: 24 de agosto;

  • NIS final 6: 25 de agosto;

  • NIS final 7: 28 de agosto;

  • NIS final 8: 29 de agosto;

  • NIS final 9: 30 de agosto;

  • NIS final 0: 31 de agosto.

O programa Bolsa Família contempla diferentes benefícios, de acordo com a situação específica de cada família beneficiária:

  • Benefício de Renda de Cidadania (BRC): R$ 142 (valor per capita pago a cada pessoa da família);

  • Benefício Complementar (BCO): valor adicional pago para as famílias cuja soma dos benefícios não atinja R$ 600, garantindo que cada família receba no mínimo esse valor;

  • Benefício Primeira Infância (BPI): extra de R$ 150 pago por cada criança com idade entre zero e sete anos incompletos;

  • Benefício Variável Familiar (BVF): adicional de R$ 50 para gestantes e crianças e adolescentes com idade entre 7 e 18 anos incompletos;

  • Benefício Variável Familiar Nutriz (BVN): extra de R$ 50 a cada membro da família que tenha até sete meses incompletos (nutriz). As transferências terão início em setembro;

  • Benefício Extraordinário de Transição (BET): válido para casos específicos, para garantir que ninguém receba menos do que recebia no programa anterior (Auxílio Brasil). O BET será pago até maio de 2025.

Em julho, o benefício médio para as famílias foi de R$ 684,17, alcançando cerca de 20,9 milhões de beneficiados e totalizando aproximadamente R$ 14 bilhões em recursos investidos.

Uma importante alteração foi implementada no programa a partir de março, com o aumento da renda mínima para ingresso no Bolsa Família. Agora, famílias com renda de até R$ 218 por pessoa podem ser elegíveis, o que representa um aumento em relação à faixa anterior de pobreza, que era de até R$ 210 por pessoa.

Para receber o Bolsa Família, as famílias precisam cumprir algumas condições relacionadas à saúde e à educação. Isso inclui exigências como frequência escolar obrigatória para crianças e adolescentes entre quatro e 17 anos, realização de acompanhamento pré-natal para gestantes, acompanhamento nutricional (peso e altura) das crianças até sete anos e adesão ao calendário nacional de vacinação.

Continua após a publicidade

Ao matricular as crianças na escola e vaciná-las nos postos de saúde, é fundamental informar que a família é beneficiária do Bolsa Família, garantindo o acesso aos recursos e benefícios oferecidos pelo programa governamental.

Deixe seu comentário

Só para assinantes