Comissão de Ética da Presidência libera ida de Levy para Banco Mundial

  • Marlene Bergamo/Folhapress

BRASÍLIA, 1 Fev (Reuters) - A Comissão de Ética Pública da Presidência da República revisou o entendimento de que o ex-ministro da Fazenda Joaquim Levy não poderia assumir cargo de diretor financeiro no Banco Mundial sem cumprir quarentena, liberando-o para a posse neste mês.

A informação foi confirmada pela comissão à agência de notícias Reuters e deverá ser publicada em nota ainda na tarde desta segunda-feira (1º).

Levy foi nomeado diretor financeiro do Banco Mundial em janeiro, para assumir o posto a partir de 1º de fevereiro.

Na semana passada, o conselheiro Horácio Raymundo Pires, relator do caso na Comissão de Ética, disse em voto que Levy deveria cumprir quarentena de seis meses a partir de sua exoneração, publicada no Diário Oficial no dia 21 de dezembro, antes de responder pela nova função. 

A justificativa era de que sua ida representaria "inegável" conflito de interesse, já que teria travado relacionamento relevante com o Banco Mundial enquanto ministro.

(Por Marcela Ayres e Lisandra Paraguassu; Edição de Flavia Bohone)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos