Bolsas

Câmbio

BNDES cria força-tarefa para destravar financiamentos privados

Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO, 20 Jun (Reuters) - A nova direção do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) criou uma força-tarefa para tentar destravar empréstimos da instituição de fomento junto à iniciativa privada, afirmou nesta segunda-feira (20) a diretora Marilene Ramos.

Segundo ela, que falou durante seminário da Fundação Getúlio Vargas, o grupo interno foi formado com apoio do Ministério da Fazenda e agências reguladoras e foi montado para estudar casos pendentes que estão no banco desde o governo passado.

Ela foi questionada especificamente sobre empréstimos ao consórcio que administra o aeroporto do Galeão, formado por Infraero, a cingapuriana Changi CHAP.UL e Odebrecht Transport, e ao grupo responsável pela duplicação da BR-163, administrada também pela empresa de concessões do grupo Odebrecht.

No caso do Galeão, empréstimos-ponte de R$ 1,1 bilhão foram concedidos, mas os recursos de longo prazo de R$ 2,1 bilhões não foram liberados devido a problemas nas garantias apresentadas. A Odebrecht é uma das investigadas na Operação Lava Jato e estaria com problemas para apresentar garantias sustentáveis para a viabilizar o financiamento.

Infraestrutura

Segundo o diretor do BNDES, o objetivo dessa força-tarefa é encontrar forma de viabilizar esses e outros financiamentos para projetos considerados fundamentais para a infraestrutura do país.

"É um momento difícil porque muitos dos projetos envolvem empresas que estão na Lava Jato e as garantias corporativas ficam complicadas porque não se sabe o que pode acontecer com essas empresas", disse ela a jornalistas. "O que não pode é um problema ser rolado; ele tem que ser entendido e resolvido", acrescentou.

A diretora do BNDES destacou que a expectativa é que uma definição para essas pendências saiam o mais rápido possível. "São projetos de interesse público, que têm que acontecer e temos que encontrar como fazer acontecer", afirmou ela.

A diretora do BNDES acrescentou que a retomada dos investimentos e a viabilização do programa de concessão do governo interino de Michel Temer dependem de uma melhora de cenário interno. "A medida que o país se estabilize, a tendência é que volte a confiança dos investidores. Tem que se estabilizar política e economicamente. Hoje a situação é muito difícil", disse ela.

Mais cedo, Ramos afirmou que o BNDES vai liberar automaticamente o financiamento para o governo do Rio de Janeiro concluir a obra de expansão do metrô da capital do Estado se houver aval do governo federal nas próximas horas.

Receba notícias do UOL Economia pelo WhatsApp

Quer receber notícias no seu celular sem pagar nada? Primeiro, adicione este número à agenda do seu telefone: +55 (11) 97258-8073 (não esqueça do "+55"). Depois, envie uma mensagem para este número por WhatsApp, escrevendo só: grana10.

(Edição Alberto Alerigi Jr.)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos