Bolsas

Câmbio

CMN deve fixar meta de inflação de 2018 em 4,5%, com margem de 1,5 ponto, dizem fontes

Marcela Ayres e Patrícia Duarte

O Conselho Monetário Nacional (CMN) deve fixar a meta de inflação para 2018 em 4,5% pelo IPCA, com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos, afirmaram à agência de notícias Reuters duas importantes fontes da equipe econômica com conhecimento direto do assunto, apontando a provável repetição da meta que vale para 2017.

O centro do alvo de 4,5% segue o mesmo desde 2005, quando a banda era de 2,5 pontos percentuais. A margem de 2 pontos passou a valer em 2006, ainda vigente para 2016.

Segundo uma das fontes, "não há nenhum apetite" para mudanças na meta de 2018, ressaltando, porém, que a decisão ainda não havia sido definida. A outra fonte afirmou que as conversas sobre o alvo não envolvem, no momento, qualquer alteração. Ambas as fontes pediram anonimato em função do caráter sigiloso do tema.

Questionado sobre o assunto nesta manhã, o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, afirmou em coletiva de imprensa que não anteciparia decisão do CMN, que será tomada na quinta-feira.

Segundo Ilan, seja qual for a meta definida pelo conselho para 2018, o BC irá calibrar seus trabalhos para atingi-la. Ele reiterou que a autoridade monetária buscará atingir o centro da meta de inflação de 4,5% pelo IPCA em 2017, circunscrevendo o aumento de preços na economia aos limites de tolerância em 2016.

Receba notícias do UOL Economia pelo WhatsApp

Quer receber notícias no seu celular sem pagar nada? Primeiro, adicione este número à agenda do seu telefone: +55 (11) 96492-6379 (não esqueça do "+55"). Depois, envie uma mensagem para este número por WhatsApp, escrevendo só: grana10.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos