Meirelles reafirma que pode elevar imposto para garantir meta do governo

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, reafirmou nesta terça-feira (21) que elevará impostos se isso for necessário para garantir o cumprimento da meta fiscal e que o tamanho de um corte no Orçamento será definido até meados de quarta-feira.

A meta do governo (Tesouro, Banco Central e Previdência Social) é de um deficit primário de R$ 139 bilhões. Na quarta-feira, o governo divulga o relatório bimestral de receitas e despesas, em meio às fortes expectativas do anúncio de um contingenciamento de recursos do Orçamento.

A afirmação de Meirelles foi feita após reunião com a bancada do PSDB na Câmara dos Deputados para discutir a reforma da Previdência.

Depois do encontro com os tucanos, ao participar de evento em Brasília, Meirelles voltou a reafirmar a possibilidade de aumento de imposto caso necessário.

O ministro da Fazenda também defendeu as reformas econômicas, como a da Previdência e trabalhista, encampadas pelo governo e as medidas microeconômicas em andamento para acelerar o crescimento da economia brasileira.

"Essas medidas podem fazer o crescimento sustentável chegar a 4% nos próximos anos", disse Meirelles.

Atualmente, de acordo com o ministro, as condições permitem ao Brasil ter um crescimento sustentável em 2,5%.

(Reportagem de Marcela Ayres e Cesar Raizer; Texto de Luiz Guilherme Gerbelli)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos