Bolsas

Câmbio

Preços de remédios podem subir até 4,76% a partir desta sexta-feira

  • Creative Commons

SÃO PAULO (Reuters) - O governo federal autorizou reajuste de até 4,76% nos preços de medicamentos por parte dos fabricantes a partir desta sexta-feira (31), de acordo com medida publicada no Diário Oficial da União.

O percentual iguala-se à variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no período compreendido entre março de 2016 e fevereiro de 2017, conforme a resolução da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed).

Em 2016, o governo autorizou reajuste de até 12,5% para os medicamentos.

Neste ano, os tetos dos reajustes nas três faixas, de acordo com o perfil dos medicamentos, ficaram em 4,76% (nível 1), 3,06% (nível 2) e 1,36% (nível 3).

A Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma) ressaltou que o índice máximo é destinado a medicamentos com maior oferta no mercado, assim o reajuste não deve ser aplicado em sua totalidade por conta da concorrência.

"O reajuste não é totalmente aplicado, na prática, porque a concorrência de mercado resulta em descontos expressivos nas vendas em farmácias. E existem descontos obrigatórios para o governo, além de abatimentos negociados", disse em nota o presidente-executivo da Interfarma, Antônio Britto.

(Por Paula Arend Laier)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos