Bolsas

Câmbio

Comércio mundial deve crescer 2,4% em 2017 mas incertezas pesam, diz OMC

GENEBRA (Reuters) - O comércio mundial caminha para um crescimento de 2,4 por cento neste ano, embora haja uma "profunda incerteza" sobre a evolução econômica e política, particularmente nos Estados Unidos, disse a Organização Mundial do Comércio (OMC) nesta quarta-feira.

O diretor-geral da OMC, Roberto Azevêdo, disse que ainda é necessário haver clareza sobre as políticas comerciais do presidente dos EUA, Donald Trump, ao mesmo tempo em que fez um apelo geral para resistir ao protecionismo.

Os resultados das próximas eleições em economias importantes como a França devem proporcionar mais previsibilidade para os investidores, disse ele.

A faixa de crescimento para este ano foi ajustada para um intervalo entre 1,8 e 3,6 por cento, ante 1,8 e 3,1 por cento em setembro passado, informou a OMC.

"Devemos ver o comércio como parte da solução para as dificuldades econômicas, não como parte do problema", disse Azevêdo.

"Em geral, acho que embora existam algumas razões para um otimismo cauteloso, o crescimento do comércio permanece frágil e há riscos consideráveis do lado negativo. Muito da incerteza em torno do cenário é político", disse ele em entrevista coletiva.

"Precisamos continuar fortalecendo o sistema, apresentando novas reformas e resistindo à construção de novas barreiras ao comércio".

A OMC tem revisado repetidamente as estimativas preliminares nos últimos cinco anos, uma vez que as previsões de recuperação econômica revelam-se excessivamente otimistas.

O comércio global cresceu a uma taxa de 1,3 por cento em 2016, ritmo mais lento desde a crise financeira e abaixo da projeção revisada de 1,7 por cento feita em setembro.

"O fraco desempenho ao longo do ano foi em grande parte devido a uma desaceleração significativa nos mercados emergentes, onde as importações basicamente estagnaram no ano passado, crescendo muito pouco em termos de volume", disse Azevêdo.

Em 2018, o comércio global deve crescer entre 2,1 e 4 por cento segundo a análise mais recente da OMC.

(Por Stephanie Nebehay)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7509))

REUTERS TF CMO

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos