Bolsas

Câmbio

Presidente-executivo da EDP é suspeito em investigação por corrupção em Portugal

LISBOA (Reuters) - A promotoria de Portugal informou nesta sexta-feira que o presidente-executivo da Energias de Portugal (EDP), Antonio Mexia, é suspeito em uma investigação por corrupção, após a polícia ter feito buscas nos escritórios da companhia, da operadora do sistema elétrico REN e da divisão local do Boston Consulting Group.

O promotor disse em comunicado que a investigação envolvia centenas de milhões de euros em compensação estatal paga para o ex-monopólio da EDP em troca de contratos de compra de energia de longo prazo, como parte da liberação do setor energético iniciada em 2004.

Uma porta-voz da promotoria disse que Mexia, que desde 2006 gerencia a maior companhia de Portugal, era um dos suspeitos no caso. João Manso Neto, que lidera a divisão de energias renováveis da EDP, também é investigado.

Dois diretores da REN também fazem parte das investigações.

A EDP disse em comunicado que investigadores que fizeram buscas nos escritórios tiveram "acesso irrestrito a toda informação e toda colaboração foi dada para esclarecer os fatos."

Segundo a empresa, os suspeitos identificados eram os representantes que EDP que assinaram contratos de compra de energia à época.

(Por Daniel Alvarenga e Andrei Khalip)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos