Ibovespa tem leve alta com JBS entre destaques positivos; cautela por política permanece

Por Flavia Bohone

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa operava no azul nesta terça-feira, tendo as ações da JBS entre as maiores altas, após a empresa fechar a venda de operações de carne bovina na Argentina, Paraguai e Uruguai para a Minerva.

Investidores, no entanto, ainda adotavam cautela diante do cenário político conturbado e atentos ao começo do julgamento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta terça-feira que decidirá o futuro do presidente Michel Temer no cargo.

Às 11:37, o Ibovespa subia 0,44 por cento, a 62.727 pontos. O giro financeiro era de 1,55 bilhão de reais.

Do quadro político, além do julgamento no TSE, Temer enfrenta ainda um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) por suspeitas de corrupção, obstrução à Justiça e organização criminosa, depois da gravação de uma conversa do presidente com o empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS.

Apesar da crise que atinge o Planalto, a expectativa do mercado é que as reformas consigam avançar no Congresso Nacional, ainda que de forma mais lenta do que o esperado anteriormente e com algumas mudanças.

Neste sentido, as atenções nesta sessão também se voltam para a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, que deve votar nesta terça-feira o relatório da reforma trabalhista, embora a sessão prometa ser longa antes de os senadores efetivamente aprovarem o texto.

"O que importa ao mercado é a tramitação das reformas. Se isto ocorrer mesmo no ambiente de confusão política, a melhora do mercado passa a ser questão de oportunidade", disse a corretora Lerosa Investimentos em relatório a clientes.

DESTAQUES

- JBS ON subia 4,5 por cento, após a empresa anunciar a venda das operações de carne bovina na Argentina, Paraguai e Uruguai para a MINERVA, por 300 milhões de dólares. A Minerva, que não faz parte do Ibovespa, tinha alta de 5,9 por cento.

- BR MALLS ON avançava 3,1 por cento, também entre as maiores altas do índice. A empresa negou nesta terça-feira que esteja em processo de fusão com a ALIANSCE, que não faz parte do Ibovespa e ganhava 5,4 por cento.

- VALE PNA subia 2 por cento e VALE ON ganhava 2,2 por cento, revertendo as perdas da véspera, apesar da fraqueza dos contratos futuros de minério de ferro na China.

- PETROBRAS PN perdia 0,2 por cento e PETROBRAS ON tinha baixa de 0,9 por cento, em linha com o movimento dos preços do petróleo no mercado internacional, que operavam no vermelho por preocupações de que uma disputa diplomática entre o Catar e vários países árabes possa prejudicar os esforços da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) para diminuir o excesso de oferta do mercado.

- SUZANO PAPEL E CELULOSE PNA caía 1 por cento, após subir mais de 3 por cento na véspera e FIBRIA ON recuava 1 por cento. Como pano de fundo estavam os dados do FOEX divulgados nesta manhã que, segundo a equipe do Credit Suisse, mostraram queda de 0,12 por cento nos preços da celulose na China na comparação semanal, depois de 30 altas consecutivas. Na Europa, no entanto, os preços subiram 2,54 por cento, avançando por 21 semanas seguidas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos