Riscos ao crescimento global diminuem mas surgem outros, diz BCE

FRANKFURT (Reuters) - Os riscos para o crescimento global parecem ter diminuído, com os mercados enfrentado até agora sem dificuldades a política de aperto monetário do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, disse o Banco Central Europeu (BCE) nesta quarta-feira em um boletim econômico regular.

Mas a perspectiva continua inclinada para o lado negativo devido a novos fatores, destacadamente os sinais dos EUA sugerindo uma mudança para o protecionismo.

As chances de uma mudança abrupta nas condições financeiras globais parecem ter diminuído, as principais economias emergentes parecem estar em melhor forma do que nos últimos anos e o apoio chinês ao crescimento atenuou as preocupações com as perspectivas de curto prazo, disse o BCE.

"A comunicação cuidadosa do Federal Reserve, juntamente com um curso bastante gradual de aperto da política monetária e o declínio das vulnerabilidades nos principais mercados emergentes parecem ter aliviado o risco de um aperto desordenado das condições financeiras globais", disse o BCE.

Mas novas fontes de risco, particularmente a direção potencialmente protecionista da nova administração dos Estados Unidos, podem ter um efeito negativo significativo sobre a economia global, acrescentou o BCE.

As vulnerabilidades da China no médio prazo também estão elevadas, dado o aumento da alavancagem, e as negociações delicadas sobre a saída do Reino Unido da União Europeia continuam sendo motivo de preocupação, acrescentou.

"No geral, portanto, embora alguns riscos pareçam ter diminuído, o balanço de riscos para as perspectivas globais permanece inclinado para o lado negativo", acrescentou o BCE.

(Por Balazs Koranyi)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos