UE diz que Brasil concordou em aprofundar testes de segurança em carnes

Nigel Hunt

LONDRES, 23 Jun (Reuters) - A Comissão Europeia disse nesta sexta-feira (23) que o Brasil concordou em elevar os testes de segurança realizados sobre suas exportações de carne, ressaltando a decisão dos Estados Unidos de banir compras de carne fresca do país.

Os EUA suspenderam todas importações de carne fresca do Brasil na quinta-feira devido a "recorrentes preocupações sobre a segurança dos alimentos destinados ao mercado norte-americano." 

Uma auditoria da UE conduzida em maio identificou "falhas sistemáticas" no Brasil, particularmente em carne de cavalo e de frango, bem como nas preparações e nos produtos de carne.

Remessas do Brasil foram rejeitadas pela UE por várias razões, incluindo a presença de salmonelas na carne de aves e STEC (E. Coli, produtor de toxina Shiga) em carne bovina.

A UE pediu ao Brasil que implemente medidas adicionais em 7 de junho, e recebeu uma resposta na segunda-feira, em que o Ministério de Agricultura brasileiro concordou em colocar as medidas em prática.

Uma nova auditoria será realizada ao final de 2017 para avaliar a efetividade das medidas.

"Caso o Brasil falhe em tal implementação, a Comissão poderá ter que tomar medidas adicionais para proteger a saúde dos consumidores da UE", disse um porta-voz.

O ministro da Agricultura do Brasil, Blairo Maggi, vai viajar para os Estados Unidos nesta sexta-feira para lutar contra a proibição das importações, que atinge partes dos processadores de carnes locais e revive preocupações com a imagem do maior exportador do mundo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos