Exportação de café verde do Brasil em julho tem menor volume em mais de 10 anos

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - As exportações de café verde do Brasil, maior exportador global do produto, atingiram em julho os menores volumes mensais em pouco mais de dez anos, pelo menos, apontaram dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) nesta terça-feira.

O Brasil exportou 1,6 milhão de sacas de café em grão, abaixo dos 1,66 milhão de sacas de maio de 2008, que até esta terça-feira era o menor volume em uma série de dados da Secex iniciada em 2006.

Os embarques foram baixos em um momento em que a colheita de uma safra menor ainda não chegou efetivamente ao mercado, com produtores segurando vendas enquanto não veem preços melhores, na avaliação de um diretor do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). Além disso, os países importadores estão relativamente bem abastecidos, segundo a associação.

A exportação no mês passado ficou ainda levemente abaixo dos embarques de julho de 2016, quando somaram aproximadamente 1,7 milhão de sacas de café verde, também um número pequeno perto das exportações mensais do Brasil, que em seus melhores momentos ficam mais próximas ou superam 3 milhões de sacas.

"O que a gente está vendo é uma queda por uma série de fatores. A safra que o Brasil está colhendo ainda vai entrar no mercado...", disse o diretor-técnico do Cecafé, Eduardo Heron, em entrevista à Reuters.

Ele acrescentou que as exportações do país, em geral, ganham força nos próximos meses, quando a colheita já está concluída.

Heron explicou ainda que, com o verão no hemisfério norte, quando o consumo de café é menor, os compradores no exterior do produto brasileiro "não estão tendo tanto interesse".

Outro fator são os armazéns relativamente bem abastecidos nos países importadores, o que limita o interesse de compras, acrescentou.

Não bastassem esses fatores, o mercado não está favorável aos negócios pelos cafeicultores.

"Os produtores não estão se sentindo atraídos pelos preços, eles fazem vendas pontuais..."

Isso em um momento em que o Brasil colhe uma safra menor, impactada pela bienalidade negativa do ciclo do café arábica.

Conforme o levantamento mais recente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), de maio, o Brasil deverá colher neste ano 45,56 milhões de sacas de café, abaixo do recorde de 51,36 milhões de sacas do ano passado.

O diretor do Cecafé afirmou que há alguns critérios que diferem os números do conselho dos da Secex, mas concordou que as exportações em julho foram baixas. A entidade só fecha os dados do mês passado nos próximos dias.

"Em linhas gerais, olhando o que tem de café verde, não vai estar tão fora disso", disse ele em referência ao dado da Secex, complementando que o número de julho do Cecafé "certamente" ficará abaixo de 2 milhões de sacas.

Pelos dados do Cecafé, a exportação mais baixa da história recente foi vista em junho de 2008 (1,568 milhão de sacas), enquanto no passado mais distante o Brasil exportou volumes menores, de pouco mais de 500 mil sacas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos