Temer pede acesso a gravação de delator da J&F que teria sido treinado por investigadores

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Michel Temer apresentou nesta quarta-feira pedido ao ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), para ter acesso a uma gravação em que o diretor jurídico da J&F, Francisco de Assis da Silva, diz que teria participado de "treinamentos" com procuradores da República e delegados federais antes de firmar acordo de delação premiada de executivos do grupo.

Os advogados de Temer argumentam que nesse áudio constam conversas de Francisco de Assis na condição de colaborador e que, por essa razão, não estariam acobertadas pelo sigilo profissional a que o delator teria direito, por lei, para as conversas com seus clientes na condição de advogado.

"Destaca-se que, na 'homologação de acordo de delação premiada, o Dr. Francisco de Assis e Silva e os demais colaboradores 'comprometeram-se a falar a verdade sobre todos os fatos de que tivesse conhecimento'. Inclusive anuíram com a renúncia à 'garantia contra a autoincriminação e ao exercício ao direito do silêncio'", dizem os defensores.

Os advogados pedem acesso ao áudio de Francisco de Assis e outras gravações de colaboradores que não tenham sido repassados para a defesa de Temer.

(Reportagem de Ricardo Brito)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos