Bolsas

Câmbio

Ainda sem acordo, Câmara deve deixar votação de fundo para a 3ª-feira

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta segunda-feira que ainda não há acordo para votar o texto produzido por senadores que cria um fundo de financiamento eleitoral.

Maia acrescentou que se a falta de consenso sobre o texto se confirmar, deverá colocar em votação um outro texto que trata do mesmo tema, de autoria do deputado Vicente Cândido (PT-SP).

“Ainda não tem texto. Nós vamos ler hoje o texto do deputado Vicente... e vamos tentar construir amanhã algum acordo”, disse o presidente da Câmara a jornalistas.

“Se tiver acordo para o fundo, vota, se não tiver, vota só o texto do Vicente Cândido.”

Mais cedo, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), havia defendido que a Câmara votasse o texto produzido pelos senadores para criar o fundo, com o compromisso de pedir o veto presidencial aos pontos que desagradam os deputados.

Eunício argumentou ainda, após reunião com Maia, que já não há mais tempo hábil para a votação do texto de Cândido.

“Não há mais tempo hábil para que a Câmara mude e devolva essa mudança para o Senado aprovar”, disse, referindo-se a dispositivo que vem enfrentando grande resistência por parte de deputados ao impedir que recursos do fundo partidário sejam utilizados para campanhas de eleições de deputados e vereadores.

“Nos comprometemos de falar inclusive com o presidente da República”, afirmou, acrescentando que para fechar o acordo ainda faltava concluir um “entendimento” com o PR.

Segundo o presidente do Senado, haveria ainda uma reunião com Cândido para decidir como proceder com o texto preparado pelo deputado.

Na semana passada, o relator já havia adiantado que trabalhava em um texto que incluiria a ideia do Senado de utilizar verbas das emendas de bancada.

Apontaria ainda outras fontes para o fundo eleitoral, como parte dos recursos destinados a fundações ou institutos de educação política e medidas de economia no Legislativo, além de deixar aberta a possibilidade de o fundo partidário irrigar o fundo de financiamento de todas as campanhas.

Na entrevista desta segunda-feira, Maia aproveitou para reafirmar que a denúncia contra o presidente Michel Temer e dois ministros deve ser analisada pelo plenário da Câmara na semana do dia 23 de outubro.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos